América-RN 4 x 4 Campinense - Teve de tudo no clássico dos piores

por Agência Futebol Interior

Natal, RN, 02 (AFI) - O duelo entre os piores times do Brasileiro da Série B acabou como o mais emocionante da sexta-feira à noite. Com um futebol bastante ofensivo, América-RN e Campinense empataram por 4 a 4, no Machadão, em Natal, pela abertura da 28ª rodada.
O empate, apesar de emocionante, não foi bom para nenhum dos dois clubes. Os potiguares chegaram aos 29 pontos, mas mantiveram-se em penúltimo. Já o Campinense, com 27 pontos, segurará a lanterna por mais uma rodada completa.
Cadê o lateral-esquerdo?
O puxão de orelha do diretor de futebol Alex Padang deu resultado já no primeiro tempo. Com muito mais disposição e futebol do que na derrota para a Ponte Preta, o América-RN fez a festa nas costas de Almir, improvisado como lateral-esquerdo, e acabou com as chances do Campinense.
Aos dois minutos, Lúcio teve sua primeira chance e não a desperdiçou. O atacante dominou em cima do zagueiro Leandro Camilo, conseguiu o giro e bateu rasteiro, por baixo de Fabiano. O goleiro tentou sair para abafar o chute, mas não conseguiu fazer nada.
O Campinense, com apenas um atacante de ofício, tentou de tudo, mas só criou uma oportunidade perigosa contra o gol de Weverton. Aos 15 minutos, Giuliano arriscou chute da entrada da área. A bola sobrou para Washington, que bateu de primeira pela linha de fundo.

O América-RN, porém, não se intimidou e seguiu aproveitando a deficiência de marcação pelo lado esquerdo da defesa adversária. Aos 26 minutos, Thoni recebeu de Berg, invadiu a área e chutou forte para vencer Fabiano e ampliar o placar a favor dos donos da casa.
Suspiro!
Com os 2 a 0, Freitas Nascimento tirou o atacante Almir, improvisado na ala esquerda, e colocou Marquinhos. A situação poderia ter ficado ainda pior para os visitantes. Em nova jogada pela direita, desta vez aos 36 minutos, Thoni descolou um cruzamento preciso para André Luís marcar. Contudo, o lance foi anulado, pois a bola já tinha saído de campo.
No final, o futebol pregou uma peça para o time mandante. O América-RN, que teve a chance de fazer 3 a 0, acabou sofrendo o gol que deixou a partida em aberto. Aos 43 minutos, Nino levantou a bola na área e contou com desvio de cabeça de Edson Rocha, contra, para diminuir o marcador.
Chuva de gols!
Depois de errar ao colocar Almir na lateral-esquerda, Freitas Nascimento acertou ao voltar com Anderson Oliveira para o segundo tempo. Com uma postura mais ofensiva, o Campinense não demorou a empatar. Aos dois minutos, Fábio Júnior recebeu dentro da área, girou sobre o zagueiro e bateu de perna esquerda, no ângulo esquerdo de Weverton.
O empate trouxe ânimo ao Campinense, que pareceu um rolo compressor no segundo tempo. A prova disso aconteceu aos 19 minutos. Anderson Oliveira foi derrubado na área por Marcelo Ramos. O árbitro marcou o pênalti. Na cobrança, Anderson bateu no canto direito. Weverton defendeu, mas o atacante marcou no rebote.
A vitória parcial parecia um sonho para os paraibanos. Pena que não durou muito. Logo aos 23 minutos, Somália recebeu cruzamento da direita, dominou e bateu no canto esquerdo, na saída de Fabiano. A partida ficou mais emocionante ainda.
Em sua estreia, Francisco Diá tirou Rafael e colocou Juninho. A substituição trouxe velocidade ao América-RN, que pressionou até o final da partida, mas cansou de perder gols. Principalmente com Lúcio.
Do inferno ao céu!
O atacante, que vive às turras com diretoria e torcida, recebeu lançamento de Geovane na cara do gol. Driblou o goleiro, mas chutou fora, perdendo uma incrível chance aos 26 minutos. Logo depois, aos 28, Lúcio teve outra oportunidade frente a frente com Fabiano, mas novamente não deu certo.
Mas não foi só Lúcio que perdeu gols. Aos 36 minutos, Geovane pegou sobra na meia-lua e soltou o pé direito. A bola raspou o ângulo esquerdo de Fabiano, mas foi pela linha de fundo, naquilo que parecia a última grande chance da partida.
Parecia, mas não foi. Aos 36 minutos, Lúcio conseguiu se redimir de todas as chances perdidas. Ao receber lançamento dentro da área, o camisa 9 percebeu o goleiro adiantado e marcou com um belo toque de cabeça, por cima de Fabiano. Para fechar a noite, Lúcio ainda foi substituído e, depois de vaiado, recebeu aplausos da torcida.
Quando ninguém esperava...
Em uma partida tão imprevisível como esta, não podia faltar uma surpresinha nos minutos finais. E ela veio aos 48 minutos. Kléber aproveitou cobrança de escanteio de Washington e arriscou o chute. A bola saiu forte do pé direito do zagueiro e morreu entre as pernas de Weverton, que não pôde evitar o empate.
Ainda deu tempo de um suspiro de lamentação. Aos 49, o América-RN foi ao ataque e acertou o travessão com Marcelo Ramos. O zagueiro tentou encobrir o goleiro, mas ficou apenas no quase.
Próximos Jogos
Os dois times voltam a jogar somente no final da próxima semana. O América-RN é quem entra em campo primeiro, na sexta-feira, contra o Bahia, no Pituaçu, em Salvador. Já o Campinense enfrenta o Juventude, no sábado, no Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul.
Ficha Técnica
América-RN 4 x 4 Campinense
Local: Estádio Machadão, em Natal-RN
Árbitro: Célio Amorim-SC
Público: 4.351 espectadores (2.808 pagantes)
Renda: R$ 28.010,00
Cartões Amarelos: Marcelo Ramos, Jackson e Ramirez (América-RN); Leandro Camilo e Charles Wagner (Campinense)
Gols: Lúcio aos 2’/1T e aos 36’/2T, Thoni aos 26’/1T e Somália aos 23’/2T (América-RN); Edson Rocha, contra, aos 43’/1T, Fábio Júnior aos 2’/2T, Anderson Oliveira aos 19’/2T e Kléber aos 48’/2T (Campinense)
América-RN
Weverton; Thoni, Edson Rocha, Marcelo Ramos e Berg (Geovane); Jackson, Somália, Ricardo Oliveira e Rafael (Juninho); André Luís (Ramirez) e Lúcio.
Técnico: Francisco Diá.
Campinense
Fabiano; Fábio Santana, Leandro Camilo, Nino (Kléber) e Almir (Marquinhos); Charles Wagner, Daniel, Neto Maranhão (Anderson Oliveira) e Giuliano; Washington e Fábio Júnior.
Técnico: Freitas Nascimento.