Palmeiras e São Paulo se enfrentam em busca de tranquilidade para seus técnicos

Apesar de brigarem na parte de cima da tabela, os dois times chegam ao clássico tentando evitar uma crise

por Agência Estado

São Paulo, SP 10 (AFI) - O Palmeiras, de Vanderlei Luxemburgo, e o São Paulo, de Fernando Diniz, se enfrentam neste sábado, às 19 horas, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro com os seus treinadores pressionados.

Embora briguem pelas primeiras posições da tabela, as equipes oscilam e não conseguem convencer seus torcedores. Com isso, os dois comandantes disputam no Allianz Parque quem terá mais chances de ter um período de calmaria para seguir no cargo.

LUXEMBURGO QUER REFORÇOS

OS CAMINHOS
O Palmeiras vinha um pouco mais tranquilo. No entanto, a derrota por 2 a 1 para o Botafogo, no Engenhão, derrubou a invencibilidade de 20 jogos na temporada, piorou o ambiente no clube, com as críticas voltando com mais intensidade.

As cobranças não são só fruto dos resultados - antes do revés, a equipe vinha acumulando muitos empates -, mas também aparecem em função do futebol pobre tecnicamente, com pouco repertório ofensivo e dificuldade na criação das jogadas, além de falhas na defesa.

O resultado negativo no Rio fez com que a equipe alviverde caísse para o quinto lugar na tabela, com 22 pontos, a cinco do líder Atlético-MG. Desfalcado de jogadores importantes nas últimas rodadas, Luxemburgo reclamou publicamente, disse que o elenco é curto e pediu reforços.

ATÉ QUANDO ?

O treinador tem o suporte da diretoria, mas não se sabe por quanto tempo. O período considerável de invencibilidade era um de seus trunfos para se manter no cargo, mas agora o cenário é diferente e ele sabe que precisa emplacar uma sequência positiva para aliviar as cobranças e prolongar sua permanência no comando."Para estar na ponta precisa de consistência, senão não consegue caminhar. Precisamos de um comportamento diferente", cobrou o treinador.

Ele deve ter reforços importantes para o Choque-Rei e se apoia no retrospecto amplamente positivo do time alviverde jogando contra o São Paulo no Allianz Parque, onde nunca perdeu. Neste ano, os rivais se enfrentaram apenas uma vez, na Fonte Luminosa, em Araraquara, pelo Campeonato Paulista, e o duelo terminou sem gols.

MUDANÇAS NA ESCALAÇÃO
Esteves e Luiz Adriano, vetados do duelo de quarta contra o Botafogo por questões físicas, participaram das duas atividades que antecederam o clássico e devem ser as novidades do time alviverde. O atacante foi desfalque nas duas últimas partidas por conta de dores na coxa esquerda e o jovem lateral-esquerdo lesionou a coxa direita no início de setembro.

Esteves deve ser titular pela primeira vez desde que subiu ao profissional, e logo em um jogo grande. Ele é o mais cotado para substituir Viña, que está com a seleção do Uruguai. No Rio, Luxemburgo escalou o lateral-direito Mayke improvisado na função e a escolha foi malsucedida.

SCARPA QUER JOGAR
No segundo tempo, ele saiu para a entrada do meia Gustavo Scarpa, e o rendimento da equipe subiu. Com isso, o meio-campista também é uma alternativa para jogar na lateral esquerda.

Os outros desfalques são os mesmos da última partida: Weverton e Gabriel Menino, com a seleção brasileira, e Gustavo Gómez, com o Paraguai. Jailson e Luan devem seguir no time. Já Bruno Henrique corre o risco de começar entre os reservas.

O volante foi um dos piores em campo contra o Botafogo. É possível que Zé Rafael volte a ser titular. Luxemburgo também pode optar por Ramires ou Danilo.

TRICOLOR EM CRISE
O São Paulo tem 23 pontos e aparece na quarta posição, um pouco mais aliviado depois da vitória por 3 a 0 sobre o Atlético-GO. O clima ruim, porém, pode se instaurar novamente com um revés no Allianz Parque, estádio onde o time tricolor nunca venceu o Palmeiras. Em nove jogos, são nove vitórias palmeirenses e um empate.

Diniz ficou perto de ser demitido após a eliminação precoce na Libertadores, mas foi bancado pela diretoria e ganhou sobrevida com o triunfo conquistado com bom desempenho na rodada passada do Brasileirão.

A sua missão é dar mais consistência à equipe, que reencontrou o caminho das vitórias após sete jogos e viu sua defesa não ser vazada depois de 10 partidas. Fato é que o comandante persegue dias de paz, algo raro desde que assumiu o time.

PRINCIPAL BAIXA
O principal desfalque é o lateral Juanfran. O espanhol sofreu um estiramento no joelho e vai parar por um mês. Seu substituto será Igor Vinícius, que havia ganhado a posição do veterano há algumas rodadas e receberá nova chance.

Bruno Alves deve seguir na zaga ao lado do jovem Diego. A tendência é de que, em alta, os garotos Luan e Brenner sejam mantidos entre os titulares. Gabriel Sara está suspenso e quem joga em seu lugar é uma incógnita. Por outro lado, Luciano volta após cumprir suspensão.