Com japonês e marfinense do Botafogo, confira a Seleção FI da rodada do Brasileirão

Fogão empatou com Corinthians no começo da noite de sábado (5), na Neo Química Arena, em São Paulo (SP), pela oitava rodada

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 06 (AFI) - A oitava rodada do Campeonato Brasileiro chegou ao fim na noite deste domingo (6). Agora, com 17 pontos, o Internacional aparece na liderança, enquanto o Goiás, com apenas quatro, segura a lanterninha.
É em meio a esse cenário que a Seleção FI vem escalada com dois nomes badalados do Botafogo, que conseguiu o empate, por 2 a 2, com o Corinthians, na 'estreia' da Neo Química Arena. O japonês Keisuke Honda e o marfinense Salomon Kalou estão neste TIMAÇO.

Kalou marcou o primeiro gol com a camisa do Botafogo
Kalou marcou o primeiro gol com a camisa do Botafogo


CONFIRA A SELEÇÃO FI DA OITAVA RODADA DO BRASILEIRÃO
Goleiro: Luan Polli (Sport) - Não teve culpa no gol contra marcado por Elton, mas foi essencial para que o Sport conquistasse a vitória diante de um concorrente direto. No final do jogo, o Goiás partiu em busca do empate e exigiu duas boas defesas de Luan Polli.

Lateral-direito: Guga (Atlético-MG) - O ex-jogador do Avaí voltou com disposição de sobra. O defensor do Galo quase marcou um ao acertar o travessão do Coritiba. A bola ainda bateu em cima da risca. Não satisfeito, salvou um gol certo dos paranaenses.

Éverton Ribeiro
Éverton Ribeiro

Zagueiro: Junior Alonso (Atlético-MG) - O Galão pouco sofreu diante do Goiás. Muito disso se deveu à grande atuação do atleta, que liderou o sistema defensivo. Além disso, com passe qualificado, iniciou importantes jogadas.

Zagueiro: Miranda (Vasco) - Cano fez o gol, mas Miranda foi um gigante na defesa do Vasco na vitória, por 1 a 0, sobre o Athletico-PR. Focado e seguro, ele comandou o sistema defensivo e não deixou o Furacão empatar. "Quando não tem qualidade, vai na vontade", disse o xerifão.

Lateral-esquerdo: Felipe Jonatan (Santos) - Ao lado de Marinho, foi o principal jogador do Santos na vitória por 1 a 0 em cima do Ceará fora de casa. O jogador foi importante na defesa e fundamental no ataque, marcando o único gol da equipe da Vila Belmiro. Vem sendo peça chave do técnico Cuca.
Volante: Patrick (Internacional) - É incrível como está em todo lugar do campo. Contra o Bahia, Patrick pisou na área e fez o primeiro gol do Internacional contra o Bahia. Ainda levou perigo em outras oportunidades, além de ajudar na marcação.
Meia: Honda (Botafogo) - Fez uma partida de manual. Como um verdadeiro leão, foi essencial na transição defesa-ataque e auxiliou muito na marcação. Já como um maestro, cadenciou e acelerou o jogo com toques precisos, entendendo a dinâmica da partida e aparecendo para concluir as jogadas. Ainda arriscou dancinha em um dos gols botafoguenses.
 Fernando Diniz
Fernando Diniz

Meia: Éverton Ribeiro (Flamengo) - Volta a jogar muita bola. Éverton Ribeiro foi o principal nome da vitória do Flamengo por 2 a 1 diante do Fortaleza. Assim como ocorreu contra o Bahia, fez um golaço e ditou o ritmo do meio de campo rubro-negro. É um jogador diferenciado.

Meia: Kalou (Botafogo) - Tecnicamente, pode até não ter feito uma partida irretocável, com alguns erros. No entanto, transpiração não faltou, com muita disposição e entrega dentro de campo. Quando teve a chance, mostrou que é diferenciado, ao limpar a marcação sem precisar tocar na bola e tocar na saída de Cássio, marcando o segundo gol visitante.

Brenner
Brenner

Atacante: Brenner (São Paulo) - Brenner entrou no intervalo na vaga de Paulinho Bóia e resolveu a partida para o São Paulo. Em quatro minutos, ele fez o gol de empate e ainda participou do tento da virada. Brenner colocou uma grande dúvida na cabeça de Fernando Diniz. Foi o nome do jogo.

Atacante: Gabriel Veron (Palmeiras) - Cria da base do Palmeiras, o jovem de 18 anos entrou no segundo tempo e resolveu a partida diante do Red Bull Bragantino. Autor de um gol e da assistência para o gol de Willian, Veron foi o destaque da virada do time Alviverde por 2 a 1.
Técnico: Fernando Diniz (São Paulo) - O ex-treinador do Audax é conhecido como Professor Pardal, mas às vezes acerta. Foi o caso neste domingo. Ele foi para o intervalo com o São Paulo atrás do marcador (1 a 0 para o Fluminense). As mudanças no intervalo, porém, garantiram o triunfo tricolor. Brenner foi o nome do jogo e com dedo de Fernando Diniz