Por segurança, CBF determina torcida única para Palmeiras x Flamengo

Uma reunião na sede da CBF, no Rio de Janeiro, bateu o martelo sobre a medida, que é inédita no Brasileiro

por Agência Estado

Brasília, DF, 29 (AFI) - O jogo do próximo domingo entre Palmeiras e Flamengo no Allianz Parque, pelo Campeonato Brasileiro, será de torcida única. A CBF acatou nesta sexta-feira a recomendação do Ministério Público (MP) de São Paulo de que a partida só tenha a presença de palmeirenses, por questões de segurança. O órgão alega que obteve com a Polícia Militar (PM) informações de brigas marcadas pela internet e emboscadas organizadas para atacar ônibus de flamenguistas.

DECISÃO TOMADA

Uma reunião na sede da CBF, no Rio de Janeiro, bateu o martelo sobre a medida, que é inédita no Brasileiro quando se trata de encontro de times de Estados diferentes.

Em São Paulo, a torcida única existe desde 2016 mas apenas para clássicos entre clubes locais, independentemente da competição. No primeiro turno, no Maracanã, Flamengo e Palmeiras se encontraram em partida que teve a presença da torcida visitante.

Nos últimos dias o Palmeiras abriu a venda de ingressos para o jogo de domingo, porém aguardava a definição da CBF sobre se poderia ou não comercializar bilhetes para os visitantes. Até o balanço divulgado na tarde desta quinta-feira, haviam sido vendidos 17 mil bilhetes.

Último jogos do Palmeiras no Allianz Parque
Último jogos do Palmeiras no Allianz Parque
FLAMENGO LAMENTOU

Em nota oficial, o Flamengo lamentou a adoção da torcida única, ao considerar que se trata de um desequilíbrio no campeonato e criticou a interferência das autoridades na organização do Brasileirão.

"A não permissão da convivência de rubro-negros e alviverdes decreta a falência da segurança pública e a morte da cultura de arquibancada do futebol brasileiro."

STJD PODE SER ACIONADO

O clube carioca prometeu ainda encaminhar o assunto à Procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e sugere que, se o problema do jogo é de segurança pública, o mais adequado é que a partida não tenha público.

"Se a Polícia Militar não se sente em condições de dar segurança a todos os envolvidos na partida, esta deveria ser realizada em outro local ou com portões fechados", afirma.