Em rodada equilibrada, Jorge Jesus comanda a defensiva Seleção FI do Brasileirão

Partidas do Campeonato Brasileiro ficaram marcadas pelo equilíbrio; por isso, a equipe vem escalada no 5-3-2

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 18 (AFI) - A regra da 33ª rodada do Campeonato Brasileiro foi o equilíbrio. A maioria dos times não levou mais do que um gol na rodada que praticamente definiu o título para o Flamengo. Por conta disso, a Seleção FI traz três zagueiros na formação.

Outra prova desse equilíbrio é que o Avaí conseguiu encerrar uma sequência de oito derrotas consecutivas ao segurar o Cruzeiro, em pleno Mineirão. Apesar disso, a equipe catarinense é o primeiro time rebaixado para a Série B.


Foto: Alexandre Vidal / CRF
Foto: Alexandre Vidal / CRF


OLHA OS NOMES

Wewerton (Palmeiras),
Tinga (Fortaleza), Rhodolfo (Flamengo), Marquinhos Silva (Avaí), Víctor Cuesta (Internacional) e Moisés (Bahia);
Juninho (Fortaleza), Daniel Alves (São Paulo) e Thonny Anderson (Athletico-PR);
Di Santo (Atlético-MG) e Everaldo (Chapecoense).
Técnico: Jorge Jesus (Flamengo).


Wewerton
Wewerton

CONFIRA A SELEÇÃO FI DA 33ª RODADA DO BRASILEIRÃO

Goleiro: Weverton (Palmeiras)
Não é à toa que os torcedores palmeirenses costumam poupá-lo das críticas em meio a tantas frustrações. Weverton é um dos jogadores mais regulares do elenco e vem sendo importante para evitar que o time sofra resultados piores, assim como fez no empate por 1 a 1 com o Bahia, quando mostrou segurança e efetuou boas defesas.

Lateral-direito: Tinga (Fortaleza)
O Leão conseguiu marcar três gols em uma rodada equilibrada. Isso demonstra a força ofensiva que até os jogadores da defesa possuem. Tinga foi bem na marcação e apoiou o ataque. No lance do gol, foi muito veloz e não teve medo de sair da sua posição, invadir a área e marcar o segundo do Fortaleza na vitória por 3 a 0 diante do CSA.

Zagueiro: Rhodolfo (Flamengo)
O Mengão foi a campo com apenas três titulares e conseguiu arrancar a vitória diante do Grêmio. Para isso, porém, a equipe rubro-negra tomou certa pressão na segunda etapa, já que os donos da casa tentavam ao menos o empate. Seguro, o defensor apareceu bem para fazer bons bloqueios e aparecer bem posicionado na bola aérea.

Daniel Alves comemora o gol do São Paulo - Foto: Divulgação
Daniel Alves comemora o gol do São Paulo - Foto: Divulgação
Zagueiro: Marquinhos Silva (Avaí)
O Leão da Ilha do Retiro até foi rebaixado após empatar sem gols com o Cruzeiro, no Mineirão. O experiente defensor foi bastante importante para rebater as diversas bolas alçadas pelos donos da casa, que tentaram um abafa um tanto bagunçado nos minutos finais.

Zagueiro: Víctor Cuesta (Internacional)
Forma uma das melhores duplas de zaga do país ao lado de Rodrigo Moledo, a defesa do Corinthians que o diga. O empate sem gols foi marcado pela grande dificuldade que os corintianos tiveram de passar pela defesa colorado, muito em razão da inspirada atuação de Cuesta, que não desistiu de uma bola e ganhou a maioria dos embates.

Lateral-esquerdo: Moisés (Bahia)
Voltou recentemente de lesão e não demorou para recuperar a melhor forma. Na partida contra o Palmeiras, foi uma das principais armas ofensivas do Tricolor Baiano, com agilidade para envolver os marcadores e boas investidas pela linha de fundo, criando jogadas de perigo.

Juninho
Juninho

Volante: Juninho (Fortaleza)
Assim com Tinga, Juninho é um outro jogador que atua mais defensivamente, mas também colabora com o time no ataque. Marcou bem, anulando as jogadas que o CSA tentava armar no meio-campo e abriu o placar em cobrança de falta perfeita ainda no primeiro tempo.

Meia: Daniel Alves (São Paulo)
Nada melhor do que um clássico para o jogador da seleção brasileira voltar a ter destaque no Tricolor. Depois de sair atrás do placar na Vila Belmiro, Daniel Alves conduziu o São Paulo ao empate por 1 a 1 com o Santos, marcando o gol em jogada que ele mesmo havia iniciado.

Meia: Thonny Anderson (Athletico-PR)
Autor do gol que deu a vitória do Athletico-PR sobre o Botafogo, por 1 a 0, Thonny Anderson é uma das jovens promessas do futebol brasileiro. Emprestado pelo Grêmio, o meia é ágil e tem qualidade para chegar ao campo ofensivo. Tem ajudado o Furacão a se manter na parte de cima da tabela.

Atacante: Di Santo (Atlético-MG)
O argentino foi bem diante do Fluminense, finalizou com perigo em pelo menos duas chances, além de acionar seus companheiros quando não estava em boa posição para finalizar. Para coroar a atuação, marcou o gol do empate por 1 a 1 no Maracanã aos 43 minutos do segundo tempo, evitando a derrota do Galo.

Jorge Jesus - Foto: Divulgação
Jorge Jesus - Foto: Divulgação
Atacante: Everaldo (Chapecoense)
Se o Verdão do Oeste ainda tem chances mínimas de permanência, muito disso se deve ao centroavante, autor de 12 gols só no Brasileirão - são 18 em 50 partidas da temporada. O último deles foi na importante vitória sobre o Ceará, marcado aos 36 minutos do segundo tempo. Ele recebeu na entrada da área e chutou rasteiro para superar o goleiro Diogo Silva.

Técnico: Jorge Jesus (Flamengo)
O Mengão segue irresistível. Mesmo com apenas três jogadores titulares, poupados para a decisão da Libertadores diante do River Plate, e um homem a menos durante boa parte do segundo tempo por conta da expulsão de Gabigol, o time rubro-negro pouco sofreu e conseguiu a vitória por 1 a 0.