A Missão! Técnico deixa time quase rebaixado e tenta salvar outro no Brasileirão

De última hora furou o acordo com Lisca, e a opção foi o guerreiro Argel Fucks que aceitou o desafio de segurar o Vovô na elite

por Agência Futebol Interior

Belo Horizonte, MG, 29 (AFI) – Enquanto os jogadores do CSA comemoravam a vitória sobre o Cruzeiro, por 1 a 0, em pleno Mineirão, nesta quinta-feira à noite, de madrugada, nos primeiros minutos da sexta-feira, estourou a bomba: o técnico Argel Fucks vai dirigir o Ceará nos últimos três jogos.

Ele aceitou o convite, porque lhe foi oferecido um contrato até o final de 2020. Os valores do acordo não forem revelados. Junto com ele vão dois auxiliares: o preparador físico Dadá e o auxiliar direto Gledson.

CARTOLA CONFIRMA

O acerto foi confirmado pelo próprio presidente do CSA, Rafael Tenório, nos primeiros minutos desta sexta-feira.

"Ele me avisou que fechou com o Ceará e não mais dirige o CSA nesta temporada" - confirmou o cartola, matando qualquer dúvida que ainda pairava no ar,

Argel Fucks aceita desafio de salvar o Ceará
Argel Fucks aceita desafio de salvar o Ceará

VOVÔ FAZ CONTAS

O acordo teria sido selado à tarde, depois que não houve acordo entre a direção do Vovô e Lisca Doido, o preferido da diretoria e da torcida. Com 37 pontos, em 16.º lugar, o Ceará ainda espera se livrar da queda para a Série B em 2020.

Os últimos três jogos do Ceará vão ser contra o Athletico e Corinthians, ambos em casa, e fora diante do Botafogo-RJ.

NO CSA

De outro lado, apesar da vitória, o CSA continua em 18.º lugar, com apenas 32 pontos. Os seus próximos jogos são contra o Bahia em casa, Chapecoense (já rebaixada) e São Paulo em Maceió.
A sua campanha no time alagoano foi com aproveitamento de 30,6%. Em 25 jogos foram seis vitórias, cinco empates e 14 derrotas.

CARREIRA VITORIOSA

Argel Fucks se despediu do CSA com vitória sobre Cruzeiro
Argel Fucks se despediu do CSA com vitória sobre Cruzeiro

O zagueiro Argel foi um vitorioso, afinal não tinha a estatura elevada (1,81m) para um defensor, mesmo assim atuou por grandes clubes em sua carreira.

Começou no Internacional (1992 até 1995) depois ainda defendeu outros clubes brasileiros de peso como Santos, Palmeiras e Cruzeiro.

Também brilhou em Portugal, onde atuou nos dois grandes rivais: Porto e Benfica.

Ele ainda defendeu clubes do Japão (Tokio Verdy), Espanha (Racing Santander) e China (Zhejiang Lucheng). Iniciou a carreira de técnico no Mogi Mirim em 2008, no interior de São Paulo.

Depois passou por quase três dezenas de clubes. Foi campeão gaúcho pelo Internacional (2016), Baiano pelo Vitória (2016) e Catarinense pelo Figueirense (2015).