Ida de técnico do Avaí para o Botafogo-RJ vira novela e deve ter último capitulo na sexta

Ele já acertou com o Botafogo, mas diz que tem a proposta na mão e vai apresentá-la à direção do Avaí na sexta-feira

por Agência Futebol Interior

Florianópolis, SC, 10 (AFI) - A entrevista de Alberto Valentim era bastante aguardada após o empate sem gols do Avaí com o Vasco, na noite desta quinta-feira, na Ressacada, em Florianópolis (SC). Mas ela não teve nada demais. A sua ida acertada para o Botafogo ficou para ser explicada somente na sexta-feira.

Alberto Valentim
Alberto Valentim

Isso porque o treinador evitou comentar sobre sua provável saída para o Botafogo. Com a proposta em mãos, ele vai se reunir nesta sexta-feira com a diretoria do Avaí para comunicar a sua decisão.

"Hoje eu não vou falar nada sobre Botafogo. Como disse anteriormente, esse assunto só vou tratar amanhã (sexta-feira).

Vamos nos reunir para tratar do interesse do Botafogo", disse Valentim, garantindo que esta sua possível saída não interferiu em nada neste jogos.

“Absolutamente zero, não atrapalhou nada” – disse enfático.

AÇÃO CONTRA O VASCO

Ele só confirmou que esteve esta semana no Rio de Janeiro para resolver problemas particulares. Depois revelou o assunto:

"Infelizmente eu tive que entrar com uma ação contra o Vasco. Fui lá ver isso e não podia adiar" - afirmou.

CONFIRA A CONVERSINHA DE ALBERTO VALENTIM...!

EMPATE JUSTO
Sobre o jogo, ele considerou o empate justo, mas lamentou as saídas forçadas de Yuri e Jonathan “que estavam muito bem no jogo e precisaram sair por lesão”. Ele achou que o Avaí foi melhor no primeiro tempo e o Vasco equilibrou as ações no segundo tempo.

A entrada de Igor Leandro foi bastante justificada numa tentativa de deixar o time mais agressivo.

“Nosso jogo hoje precisava um jogador de mais características de diagonais rápidas. Um pouco mais de velocidade nas diagonais. Brener segura bem a bola, bem técnico para jogar mais curto”.

TIVEMOS CHANCES
Sobre a falta de finalizações, o técnico tentou minimizar.

“Elas aconteceram e tivemos chances de marcar, mas nós não conseguimos. A ideia básica era não dar posse para o adversário. Acho que isso funcionou bem” – concluiu.