Federação Catarinense de Futebol repudia erros do VAR contra seus filiados

Chapecoense e Avaí se sentiram prejudicados nas derrotas para Flamengo e CSA

por Agência Futebol Interior

Florianópolis, SC, 07 (AFI) - Os lances polêmicos envolvendo Chapecoense e Avaí no último domingo fizeram a Federação Catarinense de Futebol (FCF) se pronunciar através de uma nota de repúdio publicada nesta segunda-feira. O principal alvo é o VAR.

"Defensora do uso da referida tecnologia, que surgiu para auxiliar a arbitragem e transformar o jogo mais justo e dentro das regras, a FCF não pactua com o seu uso para servir de pressão e escudo à fuga de responsabilidade das autoridades de dentro do campo", dizia a federação em parte da nota.

A FCF acredita que a Chapecoense foi prejudicada na Arena Condá depois do árbitro paulista Vinícius Gonçalves Dias de Araújo ter validado o gol de Bruno Henrique mesmo após olhar o VAR. As imagens, porém, mostram que o calcanhar do zagueiro Douglas dava condições para o atacante do Flamengo.

A Chapecoense reclamou do gol flamenguista que foi validado pelo VAR
A Chapecoense reclamou do gol flamenguista que foi validado pelo VAR
Já o Avaí realmente foi prejudicado de acordo com a maioria dos comentaristas de arbitragem. Quando a partida com o CSA estava empatada em 1 a 1, o gaúcho Anderson Daronco voltou atrás depois de olhar o VAR e assinalou pênalti de Léo em Ricardo Bueno. A cobrança foi convertida por Jonatan Gomez.

CONFIRA A NOTA NA ÍNTEGRA


O futebol catarinense sofreu duas fortes agressões no último domingo (6) quando decisões equivocadas na análise da tecnologia aplicada na arbitragem (VAR), prejudicaram de forma grosseira seus dois representantes na Série A do Campeonato Brasileiro, Associação Chapecoense de Futebol e Avaí Futebol Clube.

Defensora do uso da referida tecnologia, que surgiu para auxiliar a arbitragem e transformar o jogo mais justo e dentro das regras, a FCF não pactua com o seu uso para servir de pressão e escudo à fuga de responsabilidade das autoridades de dentro do campo.

Se a regra do jogo permite interpretação, é injusto e absurdo que a decisão final esteja alocada a quem está longe do clima da partida imaginando ações e decidindo por pseudos movimentos, nem sempre concretizados em infrações.

Assim, a Federação Catarinense de Futebol abraça as inconformidades manifestadas por seus filiados, repudia a forma como foram causados os imensuráveis prejuízos ao futebol catarinense e apela no sentido de que o uso da tecnologia e a arbitragem, sejam ferramentas para estabelecer a justiça em todos os jogos.