Qual o papel dos nutricionistas nos clubes da Série A?

Todos os principais clubes do país contam, em seu quadro de profissionais, com um ou mais nutricionistas

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 11 (AFI) - Os jogadores e técnicos com certeza são os principais personagens de uma partida de futebol. Mas para que os vinte e dois atletas possam entrar em campo toda semana e entregar ao torcedor o que deles se espera – um bom futebol e bola na rede – existe toda uma preparação que, na maioria das vezes, é ignorada pela imprensa ou pela torcida. E uma parte importante dessa preparação diz respeito à alimentação e suplementação dos atletas. Você sabe, por exemplo, como funciona o trabalho de um nutricionista nos grandes clubes?

Todos os principais clubes do país contam, em seu quadro de profissionais, com um ou mais nutricionistas, responsáveis por definir a dieta e a suplementação a ser seguida pelos atletas. Existem, por exemplos, alimentos que não devem ser consumidos em momentos próximos a qualquer partida, como gorduras ou frituras, pois uma digestão demorada pode atrapalhar o desempenho dentro de campo. Cabe ao nutricionista, então, evitar que os jogadores se alimentem com esse tipo de comida antes dos jogos.

Qual o papel dos nutricionistas nos clubes da Série A?
Qual o papel dos nutricionistas nos clubes da Série A?

Outro papel do nutricionista em um clube de futebol é ajudar os atletas a manterem – ou alcançarem – o peso ideal. É comum ver casos de jogadores que, por estarem acima do peso, não conseguem ajudar suas equipes da melhor maneira possível. Rapidamente, é possível lembrar dos casos dos atacantes Walter, ex-Goiás, e Máxi Lopez, ex-Vasco.

Essa busca pelo peso ideal é feita através da alimentação, mas também, obviamente, dos exercícios. De nada adianta uma dieta balanceada se os atletas não estiverem dispostos a eliminar o peso em excesso através de muito suor.

Nesse sentido, a nutrição precisa trabalhar aliando-se a outras áreas dentro de um clube de futebol. Márcia Bernardes, nutricionista da Ponte Preta, acredita que “a parceria da Nutrição com as demais áreas é extremamente importante para sinergia do trabalho com o grupo”, e que “a Fisiologia do Exercício, Preparação Física, Medicina e Fisioterapia Esportiva precisam andar juntas à Nutrição”.

SUPLEMENTAÇÃO TAMBÉM É FUNDAMENTAL
Certificar-se de que os atletas de alto nível estão alimentando-se com uma dieta balanceada não é a única preocupação dos nutricionistas dos grandes clubes. A suplementação também uma parte fundamental do dia a dia dos jogadores, e a equipe de nutrição é quem tem como responsabilidade definir quais suplementos serão ou não administrados.

Nesse sentido, é preciso ter cuidado com a imensa lista de substâncias proibidas, para que uma possível suplementação não acabe se tornando um pesadelo por conta de um caso de doping.

Entre os principais suplementos utilizados pelos grandes clubes, os mais comuns são a maltodextrina, carboidrato complexo que é absorvido aos poucos pelo organismo; o BCAA, composto por três aminoácidos (leucina, isoleucina e valina) que não são produzidos pelo organismo; e os repositores hidroelétricos, compostos por água, sais mineiras e carboidratos, que recuperam os líquidos perdidos no suor durante a atividade física/

Além disso, os clubes utilizam ainda outros suplementos, mais específicos e que nem sempre são tomados por todos os atletas. Um bom exemplo são os suplementos de magnésio, substância fundamental para a estrutura dos ossos e também para o bom funcionamento do sistema cardiovascular.

Ou seja, o trabalho dos nutricionistas nos clubes vai muito além de apenas indicar a dieta adequada. Você pode não conhecê-los, mas quando seu time balança as redes, eles também são responsáveis pelo gol.