Internacional 3 x 1 Cruzeiro - Colorado foi bem melhor do que o mistão da Raposa

Raposa não foi bem e perdeu pela segunda vez nesta semana. O Inter manteve a intensidiade e mereceu a vitória

por Agência Futebol Interior

Porto Alegre, RS, 12 (AFI) - Num jogo de alto nível técnico, o Internacional venceu o Cruzeiro por 3 a 1, neste domingo à tarde, no estádio Beira-Rio em Porto Alegre (RS) pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. Depois do primeiro tempo equilibrado, o time gaúcho foi bem superior na etapa final e poderia até ter vencido por mais gols, porque o meia D’Alessandro desperdiçou um pênalti.

A vitória deixou o Internacional com seis pontos, em posição intermediária, na frente do próprio Cruzeiro que tem menor saldo de gols: 0 a -2.

Esta foi a segunda derrota seguida do time mineiro, que no meio de semana perdeu em casa para o Emelec, por 2 a 1, pela sexta e última rodada da fase de grupos da Copa Libertadores.

RAPOSA COM MISTÃO
Mesmo mantendo apenas quatro jogadores que perderem para o Emelec, na última quarta-feira, o Cruzeiro apresentou um time forte, inclusive, com a volta do atacante Fred, artilheiro da temporada com 16 gols e completando seu jogo de número 700 na carreira profissional.

E a Raposa começou ligada e quase abriu o placar antes do segundo minuto. Fred desceu pela direita e cruzou rasteiro para o chute de chapa de Thiago Neves. Mas para fora.

Aos 20 minutos, o visitante deu outra pontada perigosa quando Pedro Rocha puxou contra-ataque pelo lado esquerdo e rolou rasteiro para Jadson que, de frente para o gol, também chutou pra fora. O time mineiro parecia ter domínio do meio-campo, que era objetivo do técnico Mano Menezes.

Guerrero festeja seu gol
Guerrero festeja seu gol

GOL DE PEIXINHO
Mas quando chegou na frente, o Internacional abriu o placar. Aos 31 minutos, Paolo Guerrero cobrou falta na frente da área. A bola desviou na barreira, subiu e bateu na trave direita de Fábio. De repente, apareceram três colorados para completar para as redes. Nonato foi mais esperto e tocou de peixinho, na frente de Edenilson e Moledo.

O Cruzeiro não se abalou, mesmo porque empatou pouco depois, aos 36 minutos. Thiago Neves cobrou falta da intermediária em direção à grande área. A defesa se preocupou com Fred, que não alcançou a bola que praticamente bateu no pé do zagueiro Dedé e entrou no canto esquerdo de Marcelo Lomba.

INTER NA PRESSÃO
No segundo tempo, Odair Hellmann adiantou o time gaúcho, dificuldade as saídas de bola dos visitantes. Após uma forte blitz, o Inter chegou ao segundo gol. Edenilson roubou e a entregou para D’Alessandro que ligou Nico López em velocidade.

O goleiro Fábio saiu e abafou, mas o rebote ficou para chute de Guerrero em cima de Dedé. Em seguida D’Alessandro chuta e Dodô salva na pequena área, mas o rebote cai nos pés de Guerrero que bate no alto e balança as redes.

O Inter continuou melhor e quase ampliou aos 15 minutos, quando Victor Cuesta lançou Nico López em velocidade e ele bateu por cobertura. A bola resvalou na trave esquerda de Fábio e saiu. Aos 20 minutos, Dodô foi imprudente ao dar carrinho e atingir as pernas de Nonato: pênalti bem marcado por Raphael Klaus. Na cobrança, aos 22 minutos, D’Alessandro deslocou Fábio, porém, chutou para fora.

Nonato, ex-São Caetano, fez de peixinho o primeiro gol
Nonato, ex-São Caetano, fez de peixinho o primeiro gol

PENALTI PERDIDO
Antes mesmo da cobrança da penalidade, Mano Menezes fez duas trocas. Entraram David e Rodriguinho, respectivamente, nas vagas de Jadson e Pedro Rocha. De outro lado, Hellmann também mudou.

Primeiro com Parede na vaga de Nonato, machucado, e depois com Rafael Sóbis no lugar de D’Alessandro, numa troca mais ofensiva. Neste cenário de xadrez, Mano ainda reforçou o ataque mineiro com Sassá no lugar de Fred.

Aos 33 minutos surgiu o primeiro lance polêmico a favor do Internacional quando Nico López apareceu nas costas da defesa e no momento da finalização teria sido puxado por Léo. Isso facilitou a saída de Fábio. O VAR foi acionado e não marcou a penalidade máxima.

AMPLIOU PLACAR
Mas o Inter continuava melhor e ampliou aos 37 minutos. Rafael Sóbis cobrou falta da intermediária com força. A bola ultrapassou a barreira, teve um leve desvio nas mãos de Fábio e explodiu no travessão. Desta vez quem chegou para completar foi o zagueiro Rodrigo Moledo, que testou para as redes. Daí a torcida não se conteve e festejou até o final.

Guerrero fez cinco gols em oito jogos pelo Inter
Guerrero fez cinco gols em oito jogos pelo Inter

Nos acréscimos, Sassá ainda teve a chance de diminuir, mas chutou duas vezes em cima do goleiro Marcelo Lomba, que garantiu o placar. Ainda deu tempo de Edilson dar uma cotovelada na boca de Nico López e ser expulso direto com o cartão vermelho.

Ao final do jogo, Nico ainda tentou discutir com Edilson e houve um empurra-empurra entre todos os jogadores. Edilson já é um velho conhecido dos colorados, porque jogou no rival Grêmio.

SEMANA DO FLUMINENSE
O Internacional vai ter a semana inteira para se preparar visando o jogo contra o CSA, no sábado, dia 19, de novo em Porto Alegre. O Cruzeiro vai viver uma semana com o Fluminense.

Na quarta-feira pega o Tricolor das Laranjeiras pela oitavas de final da Copa do Brasil. O jogo será disputado no Maracanã, a partir das 21h30. Pelo Brasileiro, eles voltam a se enfrentar no sábado, às 16 horas, de novo no Rio de Janeiro pela quinta rodada.

Ficha Técnica

Fase
Única
Rodada
4ª rodada
Data
12/05/2019
Horário
16h00
Local
Beira-Rio - Porto Alegre (RS)
Árbitro
Raphael Claus (SP)

Renda
R$ 948.310,00
Assistentes
Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Danilo Ricardo Simon Manis (SP)

Público
20.673 pagantes (23.416 total)
Cartões Vermelhos
Cruzeiro-MG: Edílson
Gols
Internacional-RS: Nonato 31' 1T, Paolo Guerrero 9' 2T, Rodrigo Moledo 37' 2T
Cruzeiro-MG: Dedé 36' 1T
Internacional-RS
Marcelo Lomba;
Zeca, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Iago;
Rodrigo Dourado, Edenílson, D’Alessandro (Rafael Sóbis) e Nonato (Parede);
Nico López e Paolo Guerrero (Sarrafiore).
Técnico: Odair Hellmann
Cruzeiro-MG
Fábio;
Edílson, Dedé, Léo e Dodô;
Lucas Silva, Lucas Romero, Jadson (David) e Thiago Neves;
Pedro Rocha (Rodriguinho) e Fred (Sassá).
Técnico: Mano Menezes