Chapecoense 1 x 0 Atlético-MG - Gol espírita evita empate feio e castiga o relaxado Galo

Vitória nos acréscimos tira a Chapecoense da zona do rebaixamento e segura o Galo em sexto lugar

por Agência Futebol Interior

Chapecoense, SC, 6 (AFI) - Num jogo de ritmo lento e sem emoções, só mesmo um lance diferente para mudar a história.

Um gol espírita, marcado aos 48 minutos do segundo tempo, deu a vitória à Chapecoense em cima do Atlético-MG, por 1 a 0, neste sábado à tarde na Arena Condá, pela 28.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O argentino Doffo fez o gol salvador num lance em que a bola foi desviada no zagueiro Leonardo Silva, subiu bem alto e caiu nas costas do goleiro Victor. Um castigo para o Atlético, que levou o jogo em 'banho maria' mesmo tendo um elenco muito mais forte tecnicamente.

Méritos para o time catarinense, com 31 pontos, e por enquanto fora da zona de rebaixamento em 14.º lugar. Empurrou o Vasco de novo para a degola. O Galo continua em seto lugar, com 45 pontos, e desperdiçou a chance de chegar no bloco de cima.

AS FORMAÇÕES
Precisando vencer para fugir da zona de rebaixamento, a Chapecoense apareceu mudada. Na defesa optou pela entrada de Douglas para aumentar a estatura do time, preocupado com Leonardo Silva, zagueiro-artilheiro do Galo e da história do Brasileirão, com 34 gols.

O Galo, de olho em posições, poupou dois jogadores: o meia Cazares e o artilheiro Ricardo Oliveira. E perdeu o zagueiro Maidana, suspenso com três cartões amarelos.

Muita festa para o gol da vitória da Chapecoense, marcado pelo argentino Doffo. Foto: Sirli Freitas
Muita festa para o gol da vitória da Chapecoense, marcado pelo argentino Doffo. Foto: Sirli Freitas

GALO DÁ PINTA
O primeiro tempo começou com o Atlético Mineiro dando pinta de que iria atacar desde o início. Mas logo desacelerou e entrou no ritmo lento imposto também pela Chapecoense, preocupado inicialmente com a marcação. Era a ‘síndrome do medo’ pelo melhor ataque do Brasileirão, do Galo, com 47 gols.

Aos 14 minutos, o Galo ameaçou quando a defesa não cortou o escanteio e a bola sobrou na pequena área para o zagueiro Gabriel. A bola tocou na sua coxa e quando ele preparava para o arremate foi bloqueado pelo goleiro Jandrei que aliviou.

TROCA FORÇADA
Aos 24 minutos, o time catarinense perdeu o volante Elicarlos, que sentiu uma lesão na panturilha – batata da perna. Em seu lugar entrou Amaral.

Depois disso, nada mais para o time mineiro. De outro lado, a Chapecoense só chutou uma vez ao gol aos 40 minutos. Doffo ajeitou na frente da grande área e bateu forte. A bola foi por cima do travessão, mas assustou, tanto que o goleiro Victor saltou para conferir.

MAIS VELOCIDADE
No segundo tempo, Guto Ferreira pediu mais iniciativa ofensiva de seus jogadores. Tirou o atacante Vinicius, que passou desapercebido no primeiro tempo, e colocou Bruno Silva. E também sacou Diego Torres para a entrada de Yan Rollim.

Quase Bruno Silva abriu o placar no primeiro minuto, mas chegou desequilibrado para cabecear após levantamento de Bruno Pacheco, pelo lado esquerdo. A bola tocou na cabeça dele e saiu.

Após 'gol espírita', argentino Doffo comemora ao lado do alambrado da Arena Condá. Foto: Sirli Freitas
Após 'gol espírita', argentino Doffo comemora ao lado do alambrado da Arena Condá. Foto: Sirli Freitas

TROCAS BUROCRÁTICAS
Somente aos 25 minutos é que o técnico Thiago Larghi mexeu no Galo e com duas trocas burocráticas. Saíram Luan e Chará para as entradas, respectivamente, de Leandrinho e Tomás Andrade.

Mas a melhor chance de gol saiu do lado do time da casa. Após cruzamento de Eduardo, do lado direito, a bola desviou no segundo pau e sobrou na pequena área para Doffo. ele bateu de esquerda, porém, para cima, bem alto. A torcida acordou e passou a incentivar a Chape. Aos 34 minutos, outra chance: cabeceada de Bruno Silva por cima.

GOL ESPÍRITA
O jogo caminhava para seu final com cara de zero a zero. Até que ocorreu o lance decisivo e fatal. Bruno Silva dividiu com Leonardo Silva quase na linha de fundo. O rebote ficou com Doffo que ainda foi bloqueado pelo zagueiro mineiro.

Leonardo Silva deu um carrinho, a bola tocou em seu corpo, ganhou muita altura e caiu nas costas de Victor. O goleiro ainda tentou dar um tapinha, mas não conseguiu. Gol aos 48 minutos.

PRÓXIMOS JOGOS
Os dois times agora vão ter a semana toda para trabalhar. O Atlético-MG volta a campo no sábado, às 16 horas, no clássico contra o América-MG, na Arena Independência.

A Chapecoense vai jogar no domingo, às 11 horas, novamente em casa, num duelo de seis pontos contra o rebaixamento. Vai pegar o Vitória, que vem de quatro derrotas consecutivas. Sem os laterais Eduardo e Bruno Pacheco, suspensos com três cartões amarelos.

Ficha Técnica

Fase
Única
Rodada
28ª rodada
Data
06/10/2018
Horário
16h00
Local
Arena Condá - Chapecó (SC)
Árbitro
Luiz Flávio de Oliveira (SP)

Renda
R$ 198.705,00
Assistentes
Daniel Paulo Ziolli (SP) e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (SP)

Público
10.074 pagantes
Cartões Amarelos
Chapecoense-SC: Doffo, Eduardo, Bruno Pacheco
Atlético-MG: Elias, Terans

Gols
Chapecoense-SC: Doffo 48' 2T
Chapecoense-SC
Jandrei;
Eduardo, Thyere, Douglas e Bruno Pacheco;
Elicarlos (Amaral), Barreto, Diego Torres (Yan Rollim) e Doffo;
Leandro Pereira e Vinícius (Bruno Silva)
Técnico: Guto Ferreira
Atlético-MG
Victor;
Emerson, Leonardo Silva, Gabriel e Fábio Santos;
José Welison, Elias e Matheus Galdezani (Terans);
Luan (Leandrinho), Denílson e Chará (Tomás Andrade).
Técnico: Tiago Larghi
 
 
" />