Santos e São Paulo lutam por diferentes objetivos na Vila Belmiro

O Tricolor tenta recuperar a liderança enquanto o Peixe ainda sonha com uma vaga na Libertadores

por Agência Estado

Santos, SP, 16 (AFI) - Santos e São Paulo fazem neste domingo, a partir das 16 horas, na Vila Belmiro, um clássico por diferentes e importantes objetivos na 25ª rodada do Campeonato Brasileiro. Enquanto o time da Vila Belmiro busca se aproximar do grupo que almeja uma vaga na próxima Copa Libertadores, a equipe do Morumbi tenta se manter na briga direta com o Internacional pela liderança.

Cuca vai comandar o Santos pela primeira vez em um clássico desde seu retorno ao clube O técnico acredita que a boa fase do time, que não perde há oito partidas, não sofrerá influência direta pelo jogo com o São Paulo. "É clássico, jogo importantíssimo, mas coisas continuariam no mesmo ritmo. Estamos no caminho certo, vocês sabem de invencibilidade. É construção do trabalho, confiança voltando, e cada jogo é um teste. Seremos provados mais uma vez. Primeiro clássico comigo e temos confiança por um jogo", afirmou o treinador, em entrevista coletiva no CT Rei Pelé.

O jogo representa a chance de o Santos se aproximar da briga por uma vaga na Libertadores. O time está a dez pontos da zona de classificação para o torneio continental do ano que vem.

"(Se vencer) Caminha a uma vaga para a Libertadores, seis, sete ou oito. É nosso projeto, nos reunimos na minha sala. Fizemos exercício com o calendário, prognósticos, exercícios que eu gosto. Fizemos ideia do que temos que fazer. No ano passado o sexto acabou com 56. Teríamos que fazer 25, 50% dos pontos. Mais ou menos com isso que trabalhamos", revelou Cuca.

O treinador tem diversas opções no ataque para o clássico contra o São Paulo. Derlis González, Bruno Henrique e Eduardo Sasha, por exemplo, disputam uma vaga no ataque ao lado de Gabriel e Rodrygo. "Dá para jogar com os quatro, mas não sabemos se é o certo. O que fizermos está meio certo e o que vai falar que é certo é o resultado final", filosofou.

Com três vitórias e duas derrotas nos clássicos que disputou no comando do São Paulo, seu melhor retrospecto nesse tipo de duelo considerados os trabalhos no Brasil, o uruguaio Diego Aguirre sabe que a rodada poderá levar o time do céu ao inferno, dependendo da combinação de resultados.

Empatado em pontos com o Internacional (49), o clube leva a pior apenas no saldo de gols (18 a 17). Caso seja derrotado na Vila, porém, poderá perder até a vice-liderança para o Palmeiras, que visita o Bahia. Já uma vitória fará a equipe dormir na ponta, já que os gaúchos só entram em campo nesta segunda, contra a Chapecoense, na Arena Condá.

"Se você analisar o São Paulo, estamos tentando jogar da mesma forma em casa e fora. Isso, não vou mudar. É um jogo muito difícil, como tantos outros. Respeitamos muito o Santos, mas vamos tentar ganhar", prometeu Aguirre, em entrevista exclusiva ao Estado.

Para isso, ele conta com a volta do atacante Everton, ausente dos últimos três compromissos devido a uma lesão muscular. Ele formará novamente o quarteto ideal com Diego Souza, Nenê e Rojas. Reinaldo, que cumpriu suspensão na vitória da última rodada, sobre o Bahia, também retorna. Em compensação, Bruno Peres não joga e, como Régis cumprirá gancho pelo terceiro cartão amarelo recebido diante dos baianos, Aguirre precisará improvisar alguém na lateral direita. Araruna e Hudson são as opções mais prováveis.

 
 
" />