Náutico 2 x 0 Atlético-GO - Vitória justa após "faixa de protesto"

Torcida protestou antes do jogo, o juiz errou e Timbu venceu

por Agência Futebol Interior

Recife, PE, 29 (AFI) – O Estádio dos Aflitos foi palco, neste sábado à noite, de um lance inusitado. Preocupada com os seguidos erros de arbitragem, a torcida do Timbu abriu nas arquibancadas um enorme faixa – de perto de 50 metros de comprimento por 1,40 metros de largura – em protesto, com os seguintes dizeres:

“NÃO IRÃO NOS DERRUBAR NO APITO”.

Por conta disso, o jogo entre Náutico e Atlético-GO começou 17 minutos atrasado. No final, venceu o Náutico, por 2 a 0, com dois gols de Kieza, ainda no primeiro tempo. Um de pênalti, outro de cabeça.

A vitória deu ao Timbu a 11.ª posição, com 34 pontos. De outro lado, o Atlético-Go segue na lanterna, com 20 pontos em 27 rodadas.

Juiz errou duas vezes

Numa atitude repressora, o árbitro Leandro Pedro Vuaden (Fifa - RS) só iniciou o jogo depois que a faixa foi recolhida pelos torcedores. Isso depois da Polícia Militar se recusar a tirá-la por alegara incompetência. Alguns jogadores do Timbu, como o atacante Kieza, foram pedir aos torcedores que eles recolhessem a faixa, que contudo, não foi entregue aos policiais.

O curioso é que antes do apito inicial, os dois times se reuniram no circulo central do gramado para “guardar” um minuto de silêncio em respeito à morte do pai de Evandro Roman, também árbitro do quadro da CBF. O Náutico estreou o seu uniforme número quatro, de cor verde água – parecendo azul claro de longe.

Em campo, o Timbu dominou as ações, embora não tivesse uma força aguda, com chances reais de gol. Até os 16 minutos, quando o juiz pisou na bola. Ele marcou pênalti num lance em que Rhayner saltou após uma dividida com Reniê, que nem tocou no atacante. Houve muitos protestos dos goianos. Na cobrança, Kieza foi frio, esperou Márcio cair do lado direito e bateu no alto e no meio do gol: 1 a 0, aos 18 minutos.

Mais domínio
Na frente no placar, o Timbu ganhou tranqüilidade e manteve o domínio em campo. Ao contrário, o Dragão ficou sem força ofensiva. Coma faixa de protesto devidamente recolhida, o Timbu buscou o segundo gol.

Aos 33 minutos, de falta, Souza bateu pelo alto e Márcio espalmou por cima do travessão. O segundo gol saiu aos 40 minutos, quando Souza cruzou pelo lado direito e a defesa vacilou no corte. O goleiro Márcio também errou o tempo da bola, que quicou e sobrou para Kieza tocar de cabeça para as redes. Este foi o nono gol dele pelo Timbu.

Baixa no intervalo
O goleador da noite, Kieza, sentiu dores na perda direita e pediu para sair. Em seu lugar entrou Reis. O Atlético voltou para na frente, na esperança de diminuir o placar e buscar o empate. Assustou aos 13 minutos, após escanteio, e na cabeça de Gustavo defendido por Felipe. Depois disso, o Timbu perdeu o zagueiro Ronaldo alves, também sentindo a coxa direita, deixando o lugar para Hallison.

O Náutico ficou na dele, na espera da ação do adversário. O Dragão, sem força, não chegou a ameaça a importante vitória pernambucana. Nos últimos minutos, o Náutico foi ainda melhor no ataque e criou outras chances para ampliar o placar. A melhor delas aos 42 minutos, quando Rhayner limpou na jogada o goleiro Márcio e bateu para o gol livre, mas a bola tocou no travessão. Aos 46 minutos, o mesmo Rhayner invadiu a área pelo lado esquerdo e bateu de esquerdo. A bola, de novo, explodiu no travessão. Que falta de sorte!

Próximos jogos
No próximo sábado, dia 6, véspera de eleição no Brasil, os dois times vão jogar em casa, a partir das 16h20. O Náutico vai receber o Corinthians, enquanto o Atlético-GO vai enfrentar, no Estádio Serra Dourada, o Vasco da Gama, que nesta noite venceu o Figueirense, em São Januário, por 3 a 1.

Ficha Técnica

Fase
Única
Rodada
27ª rodada
Data
29/09/2012
Horário
18h30
Local
Estádio dos Aflitos, em - Recife (PE) (PE)
Árbitro
Leandro Pedro Vuaden (Fifa-RS)

Renda
Não divulgada
Assistentes
Alessandro Rocha de Matos (Fifa-BA) e Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP)

Público
13.149 total
Náutico-PE
Felipe;
Patric, Ronaldo Alves (Hallison), Jean Rolt e Douglas;
Martinez (Josa), Elicarlos, Souza e Rhayner;
Araújo e Kieza (Reis)
Técnico: Alexandre Gallo
Atlético-GO
Márcio;
Marcos, Gustavo, Reniê e Diego Giaretta;
Dodó (Marino), Pituca, Ernandes e Danilinho;
Patrik (Alexandre) e Diogo Campos (Wattichman).
Técnico: Arthur Neto