Menor teria mentido em depoimento para proteger Bruno

Tio do garoto desmentiu a versão dada por seu sobrinho em depoimento

por Agência Futebol Interior

Rio de Janeiro, RJ, 10 (AFI) - Uma revelação feita na noite desta sexta-feira pode complicar ainda mais o goleiro Bruno, envolvido no desaparecimento e subsequente assassinato da estudante Eliza Samudio, ex-amante com quem tinha um filho de quatro meses. De acordo com o tio do menor de 17 anos, o garoto, que depôs sobre o caso na semana passada, teria mentido para proteger o jogador.

O garoto, que é primo de Bruno, recebe ajuda financeira do goleiro, e teria mentido ao dizer que Bruno não estava no carro que levou a vítima ao local onde teria sido executada. "Acho que meu sobrinho foi instruído pelos advogados. Se algo acontecer ao Bruno, meu sobrinho vai perder a ajuda financeira", disse o tio do garoto.

Em depoimento, o menor afirmou que foi pago para sequestrar a moça, ainda afirmando que Bruno estava no Rio de Janeiro durante os procedimentos. O jovem ainda revelou que após ser morta, a garota foi desossada, e seu corpo, entregue como alimento à cães da raça Rottweiller. Logo depois, tudo foi enterrado no concreto. Nove suspeitos de participação no crime já estão presos. Dentre eles, o próprio goleiro Bruno, que ainda tem contrato com o Flamengo, e seu amigo Macarrão, ambos em Minas Gerais.