Botafogo 3 x 3 Grêmio - Acabou sendo o mais justo

por Agência Futebol Interior

Rio de Janeiro, RJ, 30 (AFI) – O Grêmio ainda não conseguiu a sua primeira vitória fora de seus domínios, o Estádio Olímpico, neste Campeonato Brasileiro. O time gaúcho não soube aproveitar o nervosismo e a insegurança do Botafogo e cedeu o empate, por 3 a 3, esta noite, dentro do moderno Engenhão, no Rio de Janeiro, no fechamento da 22.ª rodada.

O resultado acabou sendo justo. O Botafogo esteve duas vezes na frente no placar, mas depois sofreu o terceiro gol e só empatou no final. O Grêmio ficou com 32 pontos, em nono lugar, enquanto o Botafogo continua mergulhado na zona de rebaixamento, em 18.º lugar, com 23 pontos. Está atrás do Náutico (24) e na frente de Sport (17) e Fluminense (16).

Nervosismo e gol
O time carioca começou o jogo muito inseguro, errando passes e não chegando em condições de concluir. Mas, aos poucos, o time se acertou, sempre aos gritos do técnico Estevam Soares. Assim abriu o placar aos 19 minutos, com Reinaldo. Ele aproveitou a tabela do lado direito e chutou duas vezes. Na segunda, a bola tocou em Victor e entrou.

Mas a reação gremista foi rápida, aos 23 minutos. Depois da falha da defesa, que perdeu a bola, Perea cruzou para Jonas. Na pequena área ele tocou na trave e depois de cabeça mandou a bola no travessão. Mas o gol seria dele mesmo, porque na sobra, ajeitou e chutou forte, deixando tudo igual.

Mais gols
No início do segundo tempo, o Botafogo voltou a comandar o placar. Victor Simões foi lançado em velocidade, ganhou do zagueiro e da entrada da área tocou para as redes. A bola ainda tocou em Victor, mas entrou. Botafogo 2 a 1.

Como já tinha acontecido antes, o Botafogo entregou de novo os pontos. O empate saiu aos 12 minutos, quando Jonas bateu de primeira, de pé direito, após o cruzamento do lado direito. Houve a dúvida de que a bola teria saído pelo alto, no cruzamento de Mário Fernandes. Nem a imagem da televisão deixou isso nítido. Jonas chegou aos 10 gols na Série A, vice-artilheiro, ao lado de Adriano (Flamengo), Alecsandro (Internacional) e Gilmar (Náutico). Está um gol atrás de Val Baiano (Barueri) e Marcelinho Paraíba (Coritiba).

O suposto gol da vitória saiu de um jeito que mostra bem a maré de azar botafoguense. Souza cobrou falta pelo lado esquerdo. Ele bateu no alto, visando um cruzamento. A defesa e os atacantes subiram, confundindo o fraco goleiro Castillo que não defendeu e viu a bola nas suas redes. Grêmio, 3 a 2, aos 27 minutos.

Desespero e empate
Depois disso, aconteceu o esperado. O Grêmio se defendeu diante de um Botafogo nervoso, impaciente e que ficou sem reação em campo. Uma triste mostra para quem precisa vencer muitos jogos para evitar uma queda à Série B.

Mas num lance casual saiu o empate. Leandro Guerreiro arriscou o chute de longe, a bola desviou num adversário e ganhou efeito, morrendo no ângulo esquerdo de Victor, que ainda deu um leve toque na bola. Isso, aos 43 minutos.

Curiosamente, o Botafogo ainda teve duas chances claras para vencer. Uma com André Lima, que chegou atrasado, na pequena área, para completar e outra num chute de longe de Juninho, que obrigou o goleiro Victor a praticar grande defesa. O empate foi o resultado mais justo.

Próximos JogosFicha Técnica

Botafogo 3 x 3 Grêmio

Local: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Público: 10.031 (pagantes)
Renda: R$ 116.857,50
Árbitro: Rodrigo Martins Cintra (SP)
Cartões amarelos: Lúcio Flávio e Alessandro (Botafogo). Souza e Mário Fernandes (Grêmio).
Gols: Reinaldo, aos 19'/1T, Victor Simões, a 1'/2T e Leandro Guerreiro, aos 43'/2T (Botafogo).
Jonas, aos 23'/1T e aos 12'/2T e Souza, falta, aos 27'/2T (Grêmio). Os dois times voltam a campo no próximo sábado, pela 23.ª rodada. O Grêmio vai receber o Vitória, que empatou em casa com o Cruzeiro, por 3 a 3, depois de estar perdendo por 3 a 1. O Botafogo vai pegar o ameaçado Sport, em Recife.

Nos vestiários, o presidente do Botafogo, Maurício Assumpção, reclamou de forma exagerada dos supostos erros de arbitragem. Além do lance do segundo gol de Jonas, reclamou de um possível poênalti quando a bola bateu no braço de Adilson, no segundo tempo. Só esqueceu de reclamar da incompetência de seus dirigentes, além dele próprio, na formação de um grupo de jogadores capacitado. O Botafogo merece mesmo cair para a Série B para passar por um novo período de reciclagem.

Botafogo
Castillo; Alessandro, Wellington, Juninho e Thiaguinho; Leandro Guerreiro, Michael (Jônatas) e Lucio Flávio; Reinaldo (Renato), Victor Simões (Ricardinho) e André Lima.
Técnico: Estevam Soares

Grêmio
Victor; Mário Fernandes, Rafael Marques, Réver e Bruno Collaço (Lúcio); Túlio, Adilson, Souza e Tcheco; Perea (Herrera) e Jonas (Makelelê).
Técnico: Paulo Autuori