Após Washington... Juninho Paulista poderá ganhar mala da CBF por conflito de interesse

Ex-meia não teria se desligado totalmente da sua empresa mesmo estando no cargo da CBF

por Agência Futebol Interior

Itu, SP, 18 (AFI) - A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) tem sofrido com as relações íntimas de ex-jogadores. Primeiro foi o ex-atacante Washington, Coração Valente, que se meteu em confusão durante partida do Caxias e acabou demitido, agora, é a vez do ex-meia Juninho Paulista que poderá ganhar mala.

De acordo com a Agência Sportlight, documentos comprovam que Juninho Paulista, ex-presidente do Ituano, manteve vínculo com o clube paulista mesmo já atuando como coordenador da seleção brasileira.

Relações íntimas. (Foto: Lucas Figueiredo / CBF)
Relações íntimas. (Foto: Lucas Figueiredo / CBF)
Apesar de ter informado à CBF que tinha se desligado da JP Gerenciamento de Futebol, Juninho Paulista se como usufrutuário da companhia em 2019, mesmo período em que ainda era diretor de desenvolvimento da entidade nacional.

INTERESSANTE!
E é aí que a história fica mais interessante. Afinal, o ex-meia está na Inglaterra para observar Gabriel Martinelli, do Arsenal, e tentar fazê-lo atuar pela Seleção Canarinho. A questão é que sua empresa poderá lucrar com uma possível venda do mesmo jogador.

O Ituano receberia a grana por ser formador do atleta. A JP Gerenciamento de Futebol é sócia da Dimache Participações. As duas empresas trabalham para o Galo de Itu que vendeu Martinelli ao clube inglês.

Juninho Paulista alegou que a burocracia o fez demorar para sair completamente da empresa que esteve nos últimos dez anos. A CBF, por sua vez, afirmou que estuda o caso.