Neymar depõe em inquérito sobre vídeo e agradece apoio: 'Me senti muito amado'

Ele foi ouvido no inquérito que investiga suposto vazamento de imagens íntimas e conversas com Najila Trindade

por Agência Estado

Rio de Janeiro, RJ, 06 (AFI) - O atacante Neymar depôs na noite desta quinta-feira na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI), na Cidade da Polícia, na zona norte do Rio. Ele foi ouvido no inquérito que investiga suposto vazamento de imagens íntimas e conversas com Najila Trindade, modelo que acusa o jogador de agressão e estupro. O atleta ficou cerca de 1 hora e 30 minutos no local.

Na saída, o craque do Paris Saint-Germain deu uma breve declaração. "Só quero agradecer todo o apoio e mensagem que todo mundo mandou, agradecer todo o carinho. Me senti muito amado", afirmou, sem responder perguntas dos jornalistas.

Após depor, Neymar agradeceu aos fãs. (Foto: Ricardo Stuckert / CBF)
Após depor, Neymar agradeceu aos fãs. (Foto: Ricardo Stuckert / CBF)
Com uma bota ortopédica devido à lesão sofrida nos ligamentos do tornozelo direito - ocorrida na noite de quarta no amistoso do Brasil com o Catar - Neymar chegou às 19h15 na sede da especializada e foi conduzido numa cadeira de rodas. Houve muito tumulto devido à aglomeração de jornalistas.

Proteção!
Devido à confusão no momento da chegada do jogador, os policiais optaram por colocar um veículo dentro da Cidade da Polícia para que Neymar saísse sem que o tumulto do início.

Uma das advogadas do jogador, Maíra Fernandes, afirmou que a oitiva foi tranquila. "Neymar acabou de prestar depoimento e fez questão de vir o quanto antes para esclarecer tudo o que era devido. Nós confiamos plenamente que vamos provar a inocência dele", disse. "Ele está tranquilo em relação a isso e nós também."

O depoimento de Neymar à DRCI estava previsto para ser feito na manhã de sexta, mas os advogados do atacante pediram antecipação da oitiva. O caso se refere a um vídeo divulgado pelo atacante na noite do último sábado. A publicação trazia conversas e imagens íntimas da mulher que acusa o atacante de estupro.