Após derrota, franceses são chamados de "impostores" em seu país

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 18 (AFI) - Depois de conseguir uma classificação contestável para o Mundial – Thierry Henry conduziu a bola com a mão antes do de Gallas, que garantiu a classificação da França e que eliminou a Irlanda, em partida pelas eliminatórias da Europa à Copa 2010 -, os comandados por Raymond Domenech apresentam uma participação vergonhosa na Copa da África do Sul que lhes renderam algumas humilhações na mídia do país.

Leia mais:
Brasil lidera audiência da Copa. Já o pior é... Veja o ranking!


Logo depois da derrota para o México, por 2 a 0, na última quinta-feira, no Estádio Peter Mokaba, na cidade de Polokwane, na África do Sul, a segunda rodada do Grupo A, os jornais da França disseram que a derrota foi “humilhante”. No dia seguinte as coisas pioraram, as manchetes duras traziam os temas “patética”, “lamentável” e “cheia de impostores”, incluindo criticas aos jogadores e ao técnico da equipe.

O L’Equipe foi o mais agressivo, com a manchete “Os impostores”, o jornal condenou o estilo de jogo francês à nulidade e só um poderá impedir que Domenech & Cia retornem para Paris nos próximos dias – o último desafio da seleção será contra a anfitriã África do Sul na próxima terça-feira.

A seleção patética!
O periódico mais lido na França, o Le Parisien, não deixou por menos: “Lamentável”, foi a chamada da capa agregada, nas paginas internas, o título “A seleção patética”. O jornal ainda ironizou a era Domenech e comentou o milagre da classificação.

“É o momento de agradecer a Raymond Domenech por tudo o que ele fez pelos ’Bleus’, especialmente nos últimos anos. Uma contribuição que oscilou entre o muito pouco e o nada”, trouxe o jornal.

O Liberátion poupou apenas o goleiro Lloris e o meia-atacante Malouda do “fracasso contra a grande equipe mexicana”. Por outro lado, o conservador Le Fígaro chamou o treinador de cínico e reforçou que ele geriu um grupo de pessoas deplorável e enfatizou que a seleção está no “fundo do abismo” e próximo de eliminação humilhante.