Maria comemora amadurecimento e relata rotina antes de assumir o Brasil-RS

Treinador foi anunciado pelo Xavante no fim de março, com o calendário já paralisado em virtude da pandemia

por Agência Futebol Interior

Pelotas, RS, 04 (AFI) - Apesar do período de pandemia, esta segunda-feira é especial para Hemerson Maria.

Isso porque o treinador completa mais um ano de vida. O comandante chega aos 48 anos bastante motivado para assumir o comando do Brasil de Pelotas na sequência de 2020.

Maria foi anunciado oficialmente como comandante do Xavante no último dia 30 de março. No entanto, ainda não pôde implementar a filosofia de trabalho de campo aos jogadores, pois os treinamentos no clube gaúcho estão paralisados para evitar uma propagação do novo coronavírus.

Mesmo sem poder dar treinos, Hemerson vem tendo rotina intensa de trabalho, principalmente na atualização profissional e também na avaliação do elenco rubro-negro.

Maria ainda não estreou no comando do Brasil de Pelotas
Maria ainda não estreou no comando do Brasil de Pelotas
"Eu assisti todos os jogos do Brasil de Pelotas em 2020 e pude analisar individualmente e coletivamente os jogadores do elenco. Além disso, pude buscar informações e partidas antigas de atletas que não tiveram muitas chances neste ano. Tenho também visto muitos jogos de outros estaduais com intuito de aumentar nosso leque de opções de reforços para a sequência da temporada", pontuou.

"Outra coisa que tenho feito é conversado com muitos colegas treinadores, discutindo conteúdos de futebol e debatendo sobre o atual momento. Torço para que essa pandemia passe logo e que todos, com os seus familiares, saiam ilesos para podermos prosseguir nossos caminhos. Tenho também dado uma atenção para os meus familiares, em especial minha esposa e filha, pois sei que, quando voltarmos a nossa rotina, a tensão faz com que a gente fique dedicado praticamente 24 horas para o futebol", emendou.

RODADO

Desde 1994 exercendo a função de técnico, sendo que desde 2012 comanda equipes profissionais, Hemerson Maria enaltece o amadurecimento que vem tendo a cada ano.

"Chego aos 48 anos evoluindo como ser humano. Hoje me sinto preparado e sabedor que a vida do treinador é de altos e baixos. Aprendi muito nos últimos anos com as armadilhas que a profissão tem e como lidar com elas", confessou.

"Julgo ser fundamental manter um ambiente harmonioso com: diretoria, jogadores, comissão técnica, funcionários e imprensa. Isso ajuda a desenvolver o seu trabalho e consequentemente conquistar os melhores resultados dentro de campo", acrescentou.

Sem uma data oficializada para o retorno aos treinos do Brasil de Pelotas, Maria reforça a vontade de logo conseguir voltar a sua rotina de dentro de campo.

"Estou muito motivado para este desafio no Brasil de Pelotas. Sei que vamos encontrar dificuldades, porém, como me sinto mais maduro, estou preparado para superar as situações adversas que virão", garantiu.

"Assim, liderarei a equipe na busca de uma melhor posição possível nas competições que ainda teremos ao longo de 2020", finalizou.