Einstein erra nos testes para Covid-19 e prejudica RB Bragantino contra o Corinthians

O Toro Loko já comunicou a Federação Paulista de Futebol e a Confederação Brasileira de Futebol

por Agência Futebol Interior

Bragança Paulista, SP, 31 (AFI) - Time de melhor campanha na fase classificatória, o Red Bull Bragantino teve um desempenho muito abaixo do esperado na derrota para o Corinthians, por 2 a 0, na última quinta-feira, pelas quartas de final do Paulistão.

Mas o que poucos sabem é que a preparação para o jogo decisivo foi atrapalhada por um erro do Hospital Albert Einstein, parceiro da Federação Paulista de Futebol (FPF) e da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) na realização dos testes para Covid-19. A direção do clube pediu à FPF uma reunião com a direção do hospital para esclarecer os fatos.

MUITOS POSITIVOS
A rodada de exames realizada antes do jogo contra o Corinthians apontou 26 pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Desses, nove eram jogadores - seis considerados titulares - e quatro eram membros da comissão técnica.

Red Bull Bragantino foi prejudicado na preparação para o jogo contra o Corinthians (Foto: Rodrigo Corsi/FPF)
Red Bull Bragantino foi prejudicado na preparação para o jogo contra o Corinthians (Foto: Rodrigo Corsi/FPF)

O alto número de testes positivos deixou a diretoria do Red Bull Bragantino intrigada, pois o clube vem realizando duas baterias por semana desde que o Campeonato Paulista foi retomado.

Mesmo assim, os jogadores que testaram positivo foram afastados e não participaram do treinamento decisivo para o confronto contra o Corinthians, no Morumbi.

FOI ATRÁS
Para tirar a dúvida, o Red Bull Bragantino levou os jogadores e membros da comissão técnica para fazerem testes em outros dois laboratórios - Fleury e Cura. E, para surpresa de todos, os resultados deram negativos.

Na quinta-feira, as 26 pessoas passaram por um novo teste no Albert Einstein e os testes deram negativos. Os resultados, porém, saíram por volta das 17 horas. Foi então que o técnico Felipe Conceição ficou sabendo que poderia contar com os nove jogadores do elenco.

O Einstein confirmou que houve diferença nos resultados dos testes e justificou dizendo que "na análise dos processos internos, identificou-se um lote específico de reagentes importados ("primers") com instabilidade de funcionamento, que foram provavelmente os responsáveis pelos resultados divergentes".

NOTIFICOU!
Como o Hospital Albert Einstein firmou parceria com a FPF e a CBF para realizar os testes nas competições organizadas pelas mesmas, o Red Bull Bragantino comunicou as duas entidades do problema.