Criado por Renato Silva, hino do Red Bull Bragantino ganha nova versão; ouça

Torcedores do Massa Bruta, empolgados com acesso iminente na Série B, inovam na letra

por Agência Futebol Interior

Bragança Paulista, SP, 16 (AFI) - A consolidação da parceria entre Red Bull e Bragantino também traz mudanças fora das quatro linhas.

Se em campo o Massa Bruta é líder isolado na Série B do Campeonato Brasileiro e vê o acesso cada vez mais próximo, longe dele vê o seu hino ser regravado, agora em estilo samba.

A canção foi criada por Renato Silva dez dias antes da final do Campeonato Paulista de 1990, torneio do qual sagrou-se campeão sob comando de Vanderlei Luxemburgo.

Espaço incorporado por HTML (embed)

LENDÁRIO

O profissional, popularmente conhecido como 'Bico Fino', morto aos 62 anos de idade, trabalhou por anos nas emissoras de Campinas e na TV Record, nas décadas de 70 e 80.

Ele ganhou enorme holofotes no meio futebolístico ao idealizar os hinos de Ponte Preta, Mogi Mirim, XV de Jaú e até ensaiou melodia não encampada pelo Guarani, que preferiu oficializar obra de Osvaldo Guilherme.

Bragantino lançou novo hino
Bragantino lançou novo hino

LINGUAGEM SIMPLES

Com o característico bom humor, Renato Silva foi identificado como comunicador do povão. Usava linguagem simples e objetiva para informar e opinar desde a década de 60.

Ao longo da carreira radiofônica, iniciada na antiga Rádio Educadora de Campinas - hoje Bandeirantes - criou bordões imortalizados do tipo 'barata viva não atravessa galinheiro'; 'malandro é o corvo, porque é patrício, não dá pernada e voa sem gastar gasolina’'; ou ainda no desfecho de sua participação em programas e jornadas esportivas quando dizia 'quem beijou, beijou, quem não beijou não beija mais, feche o caixão e segue o enterro'.