Mauro Silva exalta o Bragantino campeão paulista em 90: 'Estrutura e organização'

Para o ex-jogador, base mantida pela diretoria e trabalho dentro e fora de campo, foram cruciais no título

por Federação Paulista (FPF)

São Paulo, SP, 22 (AFI) - Nesta segunda-feira, 22, o Paulistão em Casa, live da FPF durante a paralisação do futebol devido a pandemia do novo coronavírus, relembrou a 'Final Caipira' entre Bragantino e Novorizontino em 1990. Campeões, Mauro Silva e Marcelo Martelotte tiveram as companhias do ex zagueiro Márcio Santos -vice-campeão- e o jornalista Mauro Naves.

Com história no futebol espanhol e atualmente vice-presidente da FPF, Mauro Silva exaltou a organização do Bragantino naquela época. "A gente fala muito da necessidade do investimento, não só dentro de campo, mas na estrutura e na equipe profissional. O Bragantino realmente investiu em campo e o trabalho foi muito bom, tanto que, se você olhar na final, o banco de reservas tem o Pintado, que depois teve uma carreira incrível no São Paulo, o Silvio, que chega na Seleção Brasileira depois", enumera Mauro.

Em live, Mauro Silva exalta o Bragantino campeão paulista em 90
Em live, Mauro Silva exalta o Bragantino campeão paulista em 90
"Além disso, aquele Bragantino me negociou direto com o Deportivo La Caruña-ESP, negociou o Mazinho direto com o Bayern de Munique-ALE, ou seja, era um time do interior que já fazia negócios direto com os times estrangeiros", recordou.

"Foi um trabalho muito bem feito, estruturou muito bem o time, não só dentro de campo, com profissionais altamente qualificados fora de campo. Acho que é uma receita que os times do interior podem seguir", completa Mauro.

FRUTOS DA BASE
Mauro ainda falou da importância dos projetos de categorias de base em toda o processo do título paulista e até mesmo do vice-campeonato brasileiro, um ano depois.

"Outra coisa que acho importante é a categoria de base. Aquele time do Bragantino era uma mescla de jogadores da base do Guarani, com nove jogadores, e os que vieram da base do Fluminense. Este foi o time que o Luxemburgo usou como base para o Campeonato Brasileiro Série B de 1989, ganhando o Paulista em 1990. O Vanderlei sai, vem o Parreira e esse time vai para a final do Campeonato Brasileiro de 91, então a estrutura que o Bragantino criou foi referência", completou o ex volante.