Retorno do Botafogo é marcado por protestos: "Protocolo bom é o que respeita vidas"

O time alvinegro deixou clara a posição contrária ao retorno do futebol no Rio de Janeiro neste momento

por Agência Futebol Interior

Rio de Janeiro, RJ, 28 (AFI) – O retorno do Botafogo aos gramados não ficou marcado apenas pelo placar elástico de 6 a 2 sobre a Cabofriense, no Nilton Santos, mas também pelos protestos do time alvinegro, que é contra a volta do futebol neste momento.

A equipe entrou em campo com uma faixa com a frase: “protocolo bom é o que respeita vidas”. Além disso, o técnico Paulo Autuori preferiu não participar do jogo em protesto e acompanhou a partida das cabines, deixando o auxiliar Renê Weber no gramado.

“O Botafogo retorna triste, foram mil mortos ontem. A gente só ouve falar de futebol no Rio de Janeiro, todo mundo preocupado com a doença, nosso técnico sob protesto, não aceitando essa situação, jogadores preocupados... Vamos entrar em campo achando tudo muito esquisito, não é o futebol que estamos acostumados a assistir e acompanhar, é uma outra coisa”, desabafou o presidente do clube Carlos Augusto Montenegro em entrevista ao Sportv.

O movimento ‘Vidas Negras Importam’ também foi lembrado. Após o início do jogo, na primeira falta que o Botafogo teve para cobrar no campo de defesa, os jogadores se ajoelharam repetindo o gesto quer vem sendo feito por esportistas em todo o mundo.

A atitude, no entanto, não foi combinada ou parte do protocolo como se tem visto em outros países. Prova disso é que os jogadores da Cabofriense e o árbitro foram pegos de surpresa e apenas um jogador adversário aderiu ao movimento que durou poucos segundos.