Dirigente do Botafogo critica presidentes de Fla e Vasco: "Podem se tornar homicidas"

Carlos Augusto Montenegro já se manifestou contra a volta do futebol por conta da pandemia do coronavírus

por Agência Futebol Interior

Rio de Janeiro, RJ, 19 (AFI) - Enquanto Flamengo e Vasco da Gama se articulam para acelerar a volta do futebol em meio a pandemia do novo coronavírus, o Botafogo segue firme na sua postura de ser contra o reinício dos campeonatos.

O membro do comitê gestor do futebol alvinegro, Carlos Augusto Montenegro, não poupou críticas aos presidentes de Flamengo e Vasco, que participaram de uma reunião nesta terça-feira com Jair Bolsonaro.

Carlos Augusto Montenegro soltou o verbo contra Flamengo e Vasco da Gama
Carlos Augusto Montenegro soltou o verbo contra Flamengo e Vasco da Gama
No encontro, que aconteceu sem máscaras, foi discutida a possibilidade dos dois times treinaram em Brasília, já que as atividades esportivas estão proibidas pelo Governo do Rio de Janeiro.

"Não tem justificativa para a volta do futebol. Estamos com um problema sério principalmente no Rio de Janeiro. Não sei se as pessoas estão sendo homicidas ou se não estão regulando bem. O futebol não é atividade essencial.

Os clubes têm que ser grandes dentro e fora de campo. Eles podem se tornar homicidas forçando uma barra dessas. Quem vai se responsabilizar se um atleta ou funcionário passar para um membro da família?"
, questionou o dirigente botafoguense em entrevista ao site Globoesporte.com.

NÚMEROS!
E Carlos Augusto Montenegro tem razão, pois os números são preocupantes e não param de aumentar. Nesta terça-feira, por exemplo, foram registrados 1.179 mortes pelo novo coronavírus, ultrapassando pela primeira vez a marca de mil mortes.

Houve recorde também no Rio de Janeiro, com 227 mortes nas últimas 24 horas. Além disso, o número total de casos no estado é de 27.805.