Técnico do Botafogo detona CBF, que responde em nota: "Como sempre, se omite"

O treinador criticou o fato de que a entidade máxima do futebol passou a responsabilidade da paralisação dos jogos para as federações

por Agência Futebol Interior

Rio de Janeiro, RJ, 18 (AFI) – Em meio a um silêncio por grande parte dos profissionais do futebol, o técnico Paulo Autuori, do Botafogo, não poupou críticas à CBF em relação à indecisão quanto à paralisação das competições por conta do coronavírus.

Em entrevista ao Globo Esporte, o treinador foi duro nas críticas à entidade máxima do futebol brasileiro, que deixou nas mãos das federações estaduais a paralisação dos campeonatos.

“Como sempre, a CBF se omite ou fica em cima do muro nas decisões que caberiam exclusivamente a ela tomar em relação ao futebol brasileiro”, disse o treinador.

Se referindo às federações como ‘filhotes’ da CBF, o treinador chamou ainda a decisão de ‘frouxa e irresponsável’.

“Ao não exigir que as federações parassem suas competições e não estipular prazos, a CBF vem somar aos frequentes erros mais essa frouxa e irresponsável decisão de deixar nas mãos de seus filhotes a decisão final”, desabafou.

Paulo Autuori, técnico do Botafogo, detonou a CBF em entrevista
Paulo Autuori, técnico do Botafogo, detonou a CBF em entrevista
A CBF respondeu as criticas de Autuori e se manifestou através de uma nota, dizendo que as declarações do treinador foram ‘infelizes’ e que agiu prontamente e de acordo com recomendações do Ministério da Saúde do Brasil.

Confira a resposta da CBF:

"Acerca das infelizes declarações do técnico do Botafogo, Paulo Autuori, a CBF esclarece:

1 - A CBF agiu prontamente, em sintonia com as recomendações do Ministério da Saúde do Brasil, indicando, na sexta-feira, portões fechados em jogos a serem realizados nas cidades de Rio de Janeiro e São Paulo, medida prontamente atendida.

2 - No fim de semana, avaliando novos fatos e as previsões em relação à expansão do coronavírus, suspendeu todas as competições de âmbito nacional em andamento.

3 - Quanto aos campeonatos estaduais, o artigo 217 da Constituição Federal confere autonomia às entidades esportivas quanto à sua organização e funcionamento, de modo que a CBF não pode interferir na organização das competições estaduais.

4 - O Estatuto do Torcedor também atribui às entidades organizadoras das competições uma série de obrigações. As competições estaduais são organizadas por cada uma das federações, sendo estas as responsáveis pela competição do ponto de vista legal. Deste modo cabe exclusivamente às federações a definição acerca do destino da competição".