Max, ex-goleiro do Botafogo, tem morte cerebral confirmada por médicos

Ele foi internado com um edema cerebral há aproximadamente 20 dias

por Agência Futebol Interior

Rio de Janeiro, RJ, 26 (AFI) – Morreu na tarde desta quarta-feira o ex-goleiro do Botafogo Maxlei dos Santos Luzia, o Max, de 42 anos. Ele estava há um mês internado no Hospital da Lagoa, na zona sul do Rio de Janeiro, e teve morte cerebral confirmada pelos médicos após exames neurológicos sem nenhuma resposta aos estímulos. O Botafogo já revelou que irá prestar um minuto de silencio para o jogador nesta quarta-feira, quando recebe o Atlético-MG pelas quartas de final da Copa do Brasil no estádio Nilton Santos.

"O Botafogo manifesta seu pesar e solidariedade a familiares e amigos. Haverá um minuto de silêncio antes da partida contra o Atlético-MG, nesta quarta-feira", acrescentou o clube.

Max, ex-goleiro do Botafogo, tem morte cerebral confirmada por médicos
Max, ex-goleiro do Botafogo, tem morte cerebral confirmada por médicos

Max foi internado com um edema cerebral há aproximadamente 20 dias. Ele foi vítima de um assalto chegando com a sua família em casa. Quatro bandidos armados jogaram o carro em cima do ex-goleiro e tudo terminou em um grave acidente em que ele, a princípio, tinha quebrado apenas a mão. Poucos dias depois, de acordo com a esposa, ele apresentava confusão mental e chegou a ter uma convulsão.

"Querido por todos, sempre foi um ótimo profissional e um exemplo como homem. O Botafogo manifesta seu pesar e solidariedade a familiares e amigos", afirmou o Botafogo em seu comunicado oficial, lamentando o falecimento do ex-goleiro.

Mesmo com a morte cerebral confirmada, os médicos não sabem apontar a causa exata que tirou a vida de Max. Há uma possibilidade que a batida de carro seja apenas uma coincidência com uma doença rara e autoimune. A família já comunicou que irá entrar com os pedidos para doar os órgãos do jogador.

Revelado nas categorias de base da Portuguesa da Ilha, Max passou por grandes clubes do futebol brasileiro, mas boa parte da sua carreira aconteceu no Botafogo, onde foi campeão Carioca e da Taça Guanabara em 2006 e da Taça Rio em 2007. Jogou também no Bangu, Friburguense, América-RJ, Vila Nova, Itumbiara, Vila Nova, Joinville, Boa Esporte e Gama. Em Santa Catarina fez parte do grupo que levantou a taça da Série C em 2011.

 
 
" />