Após tropeço no Paraibano, Botafogo demite técnico Marcelo Vilar

Quatro nomes já são comentados no clube: PC Gusmão, Itamar Schülle, Jazon Vieira e Ramiro Sousa

por Agência Futebol Interior

João Pessoa, PB, 21 (AFI) – O casamento entre Botafogo-PB e Marcelo Vilar terminou na manhã desta quinta-feira. Após o novo tropeço no Campeonato Paraibano e a estreia com o pé-esquerdo no Brasileiro da Série C, o treinador não resistiu a pressão e acabou demitido, depois de ficar quase três anos à frente do time da estrela solitária. Quatro nomes já são comentados no clube: PC Gusmão, Itamar Schülle, Jazon Vieira e Ramiro Sousa.

Após empatar com o Treze, por 1 a 1, nesta quarta-feira, o Belo acumulou sua terceira partida sem vitórias. Na estreia do quadrangular final do Paraibano, o time já havia ficado no 2 a 2 com o Auto Esporte. Já na estreia da Série C perdeu para o Salgueiro, por 2 a 1, dentro do Paraibano.

O fato curioso é que, apesar da instabilidade nos últimos jogos, o Bota realizava um bom trabalho em 2015. Embora tenha ido mal na Copa do Nordeste, o time fez um páreo com o Botafogo na Copa do Brasil – foi eliminado com empate por 2 a 2 e derrota por 4 a 2 – e teve a melhor campanha da primeira fase do Paraibano.

Desde que chegara ao Botafogo, em outubro de 2012, Marcelo Vilar deu início a um trabalho de reestruturação. Em 2013, levou o time ao título paraibano, quebrando o tabu de uma década do clube sem levantar o caneco. No mesmo ano, levou o clube ao acesso e ao título da Série D do Brasileiro. Em 2014, conquistou o bi do Paraibano.

O fato curioso é que antes de desembarcar no time de João Pessoa, Marcelo Vilar já havia feito um trabalho longo no rival Treze. O treinador também trabalhou por quase três anos no Galo da Borborema, entre 2009 e 2012, conquistando dois Paraibanos (2010 e 2011) e uma Copa Paraíba (2009).

NOVOS NOMES
Dos quatro substitutos cogitados, o mais experiente é PC Gusmão, de 53 anos. Ele dirigiu o Penapolense no último Paulistão e possui passagens por clubes como Vasco, Palmeiras, Cruzeiro, Flamengo, Botafogo, Fluminense, Náutico, Figueirense, Ceará, Sport, Vitória e Al-Arabi (Qatar).

Itamar Schülle também vem de um bom trabalho à frente do Operário-PR, onde conquistou o histórico título paranaense sobre o Coritiba. O treiandor de 48 anos construiu sua carreira no futebol do Sul do país e possui passagens por dezenas de clubes na região. Entre eles, Figueirense, Joinville, Criciúma, Chapecoense, Santo André e Caxias. Ele chegou a trabalhar no próprio Botafogo-PB em 2010.

Bem menos conhecido, Ramiro Sousa tem 47 anos e trabalhou basicamente no futebol paraibano. Neste ano, dirigiu o Lucena-PB no Estadual. Jazon Vieira, de 47 anos, também trabalhou neste Paraibano, mas pelo Auto Esporte.

 
 
" />