Atacante do Boca Juniors pode ser preso na Argentina após denúncia por abuso sexual

Cristian Pavón teve prisão preventiva solicitada pelo advogado de defesa pela iminência do atleta deixar o país

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 12 (AFI) - O atacante do Boca Juniors, Cristian Pavón, pode ser preso preventivamente em Buenos Aires após ter sido denunciado por abuso sexual. O caso ocorreu em novembro de 2019 e o pedido de detenção foi feito pela defesa de Gisela Doyle.

O jogador de 25 anos retornou ao Boca Juniors após empréstimo ao Los Angeles Galaxy, mas não deve ficar no time argentino, já que os norte-americanos demonstraram interesse em sua contratação por definitivo. Com a possibilidade de Pavón deixar o país, a defesa da vítima solicitou sua prisão preventiva à Justiça.
Cristian Pavón, atacante do Boca Juniors, pode ser preso preventivamente
Cristian Pavón, atacante do Boca Juniors, pode ser preso preventivamente

PEDIDO

O advogado Luciano Bocco relaxa no texto do pedido que “existem veementes indícios de perigo de fuga ou de obstrução da investigação. (...) Tendo em conta as facilidades que o denunciado tem para abandonar o país, solicito a que se ordene de maneira imediata uma medida cautelar de proibição para a saída do país.”.

Caso Pavón deixe a Argentina, a defesa de Gisela Doyle cogita levar o caso até à Interpol solicitando extradição do atleta.

CASO

Gisela afirma que o abuso sexual teria acontecido em uma festa, em que Pavón a trancou em um banheiro por uma hora e teve relações sexuais com ela sem consentimento, após consumo de álcool e maconha, deixando-a jogada no chão do banheiro.

Os jogadores Thiago Almada e Miguel Brizuela, do Vélez Sarsfield, foram acusados de abuso sexual, nesta semana, a uma jovem de 28 anos, também durante uma festa.