Paulista A3: Dirigente escancara situação financeira 'Praticamente o fim do Barretos'

O clube vive dias difíceis financeiramente e tem boa parte de sua renda bloqueada por ações trabalhistas

por Agência Futebol Interior

Barretos, SP, 15 (AFI) – O presidente de honra do Barretos, Milton Aparecido da Silva, conhecido como ‘Miltão’, apontou a situação financeira complicada do time e foi duros nas palavras, chegando a afirmar que é ‘praticamente o fim do Barretos Esporte Clube’.

Em entrevista ao JBR e Rádio Jornal, Miltão afirmou que o clube tem um gasto de 700 mil reais de despesas com salários de jogadores e funcionários, além de outros gastos para manter a equipe como alimentação, viagens, hospedagens, entre outros.

O clube teria certa de 310 mil reais para receber da Federação Paulista, mas esse valor já está comprometido para o pagamento de taxas de arbitragem, ingressos e outros gastos, além do bloqueio por conta de ações trabalhistas no valor de R$ 181.093,11.

“Praticamente é o fim do Barretos Esporte Clube. Tentamos que fosse feito apenas o bloqueio de 30% da verba no valor de 54 mil reais, o que foi negado pelo Justiça do Trabalho de Barretos. E ainda não estamos incluindo valores de multas e exame antidoping previsto ainda para um dos jogos desse ano”, explicou.

Miltão explicou que a arrecadação do clube atualmente, com placas e patrocínios, gira em torno dos 80 mil reais. As rendas não passam de 3 mil reais por jogo.

“A nossa verba da FPF caiu. Em 2018, recebemos R$ 390 mil e, neste ano, caiu para R$ 310 mil. Sendo que no ano passado tivemos uma verba de R$ 220 mil bloqueada também. Temos grandes equipes com várias ações e não tem os seus recursos bloqueados. Porque somente as equipes pequenas estão passando por isso?”, indagou.