Treinador do Bahia avalia goleada na Sul-Americana como demonstração de força

Dado Cavalcanti destacou a força do elenco Tricolor. Reservas garantiram a goleada do Bahia na Sul-Americana

por Agência Futebol Interior

Salvador, BA, 28 (AFI) - Mesmo com o time misto, o Bahia goleou o Guapirá por 5 a 0, na Copa Sul-Americana. O técnico Dado Cavalcanti destacou a força do elenco do elenco Tricolor.

Mesmo com alguns titulares em campo, os reservas se destacaram. Alesson e Marcelo Ryan marcaram dois gols, cada um, e decretaram a vitória.

Dado Cavalcanti destacou a força do elenco Tricolor - Foto: Divulgação / Bahia
Dado Cavalcanti destacou a força do elenco Tricolor - Foto: Divulgação / Bahia

FORÇA NO ELENCO

O treinador destacou a qualidade dos jogadores e a entrega dos jogadores em campo.

“Primeiramente vou falar que não teve ninguém poupado. Os jogadores que estiveram em campo hoje não tinham condições de jogar. Alguns desses foram para o campo na base do sacrifício por conta da importância da Sul-americana para o Bahia e para mim. Então, quem não jogou hoje não tinha condição. Quem esteve apto a jogar, contribuiu para que a intensidade do jogo fosse alta, para que o placar fosse elástico, porque provavelmente se mantivéssemos uma margem maior de jogadores com menos intensidade, talvez não seria assim (com goleada). Acredito muito que hoje foi uma demonstração de força. Apesar de jogadores que não puderam vir a campo hoje, outros se sobressaíram e contribuíram muito para que a gente construísse este placar elástico tão importante para a sequência da Sul-americana”, disse.

DECISÃO NO SÁBADO

Dado Cavalcanti também comentou sobre a decisão que o time irá encarar no sábado.

“O jogo se tornou fácil pela nossa dinâmica, pela nossa intensidade. Acho que a gente carrega, sim, uma confiança para o jogo de sábado. Carregamos conosco essa confiança de fazer um jogo decisivo no sábado”, analisou Dado Cavalcanti.

DEFESA SÓLIDA

O Bahia apresentou significativa melhora no setor defensivo. O treinador também destacou essa melhora e sobre o DNA da equipe.

“É DNA, espírito, forma, modelo. Nossa equipe é assim. Desde o ano passado só se falava de sistema defensivo ruim, sobre defesa que toma muitos gols, sobre o que fazer para melhorar a defesa e eu fui enfático ao dizer que o problema não era o sistema em si, mas sim o coletivo. E se nós melhorarmos a forma, mudando conceitualmente a maneira de jogar, tendo mais a posse, agredindo mais o adversário e jogando mais no campo do adversário, nós por consequência disso tomaríamos menos gols e estaríamos mais próximos de fazer gols. Não somos “kamikazes”. Somos um time agressivo ofensivamente, somos um time que cria 10, 12 situações em média. Hoje fizemos cinco gols e criamos para mais de 20. Isso nos deixa satisfeitos, mas temos margem para evolução, podemos evoluir mais, para chegar mais forte ainda na sequência do campeonato”, concluiu o comandante.

PRÓXIMO JOGO

O próximo compromisso do Bahia é no sábado, às 16h, no estádio Pituaçu, contra o Ceará, no primeiro jogo da decisão da Copa do Nordeste.