Roger Machado reforça a marcação do Bahia em Florianópolis

Ronaldo deve entrar na vaga de Guerra, atuando ao lado de Flávio e Gregore

por Agência Futebol Interior

Salvador, BA, 29 (AFI) - O técnico Roger Machado, do Bahia, não perde o respeito e o foco mesmo tendo pela frente o Avaí, um dos times mais cotados para ser rebaixado à Série B. A preparação para o jogo de segunda-feira, às 20hs, na Ressacada pela 22.ª rodada do Brasileirão é tido como mais um desafio.

Por isso mesmo, o técnico não abriu mão de mostrar imagens dos últimos jogos do Avaí em Florianópolis (SC), no último treino realizado no Fazendão no sábado. E quando levou os jogadores ao campo, para acertar posicionamentos e acertar o esquema tático, Roger não permitiu a presença da imprensa.

Roger comanda o Bahia no Brasileiro
Roger comanda o Bahia no Brasileiro

“Nós temos que respeitar o Avaí, do mesmo jeito que fizemos com o Corinthians em Itaquera ou contra o Botafogo, na última rodada, na Fonte Nova. Todos times merecem respeito, ainda mais quando ele (Avaí) está pressionado e joga diante de sua torcida. São fatores complicadores e que precisamos nos precaver” – alertou o técnico.

MUDANÇAS
O seu discurso cauteloso é rapidamente transformado em prática, com uma provável mudança no setor de meio-campo.

Para reforçar a marcação, Ronaldo deve entrar na vaga de Guerra, atuando ao lado dos volantes Flávio e Gregore. É desta forma que Roger tem escalado seu time em jogos fora de casa, mas preservando o trio ofensivo. Élber segue no lugar de Lucca ao lado de Artur e Gilberto, vice-artilheiro da competição com 11 gols, somente atrás de Gabriel, do Flamengo, com 18.

O resultado deste esquema 4—3-3 tem sido bom, porque o Bahia iniciou a rodada com a quarta melhor defesa, tendo sofrido apenas 18 gols. Um marca que o goleiro Douglas Friedrich garante ser produto do futebol coletivo do time.

“Nosso time é muito solidário, que marca de forma muito humilde e respeitosa diante de qualquer equipe que tenha pela frente”.

BONS TEMPOS
O goleiro foi muito requisitado nesta semana, porque ele começou a carreira no Avaí e sabe os segredos do time catarinense. Tanto que ele não espera uma missão fácil na Ressacada. “Acho que vai ser um jogo muito duro, mesmo porque o Avaí tem feito bons jogos diante de sua torcida. Mesmo sofrendo na tabela, eles têm sido muito competitivos” – resumiu.

A delegação baiana viajou sábado à tarde para Florianópolis e fez uma movimentação leve domingo no centro de treinamento do Figueirense. Com 34 pontos, o objetivo é se manter na parte de cima da tabela.