Ex-Palmeiras, Roger Machado se diz ansioso para rever amigos e enfrentar Felipão

"A alegria que tenho é poder reencontrar as pessoas com quem trabalhei. Deixei muitos amigos em São Paulo", disse

por Agência Estado

Salvador, BA, 09 - Um ano depois de deixar o comando do Palmeiras, o técnico Roger Machado vai encontrar a equipe neste domingo. Agora como treinador do Bahia, ele vai enfrentar a equipe alviverde no estádio Allianz Parque, em São Paulo, pelo Campeonato Brasileiro, com o sentimento especial de rever amigos e de enfrentar o colega de profissão Luiz Felipe Scolari, com quem desenvolveu uma relação especial na década de 1990.

O então lateral-esquerdo Roger foi comandado por Felipão no Grêmio em títulos marcantes para o clube, como a conquista da Copa Libertadores de 1995.

"A alegria que tenho é poder reencontrar as pessoas com quem trabalhei. Deixei muitos amigos em São Paulo. Poder rever e jogar contra o Felipão, que foi um dos grandes responsáveis pela minha ascensão como jogador", comentou o técnico do Bahia em entrevista coletiva na última quinta-feira.

ROGER X VERDÃO
As duas equipes jogam neste domingo, a partir das 16 horas. Será o primeiro encontro de Roger Machado contra o Palmeiras, após a saída no final de julho do ano passado. Dias depois o clube fechou a chegada de Felipão.

Roger Machado, técnico do Bahia
Roger Machado, técnico do Bahia

O ex-técnico do clube alviverde ficou sem trabalhar até abril deste ano, quando aceitou a proposta para dirigir o Bahia. O treinador comentou que um dos jogadores mais próximos a ele no Palmeiras é o volante Felipe Melo.

"O Felipe foi uma grata surpresa. Todo mundo tem a imagem de um bad boy. Ele é sensacional no dia a dia. Trabalha muito, tem liderança extremamente positiva e dentro de campo transforma toda essa energia em seu jogo", comentou Roger Machado. "Ele foi um dos 10 melhores jogadores e maiores profissionais que tive na minha carreira", disse.

QUEM LEMBRA?
No Palmeiras, Roger Machado comandou o time em 44 partidas com 27 vitórias, oito derrotas e nove empates. A equipe nesse período foi vice-campeã paulista e fechou a fase de grupos da Copa Libertadores com a melhor campanha geral.