Sem estádio liberado, clube da Série B ameaça não entrar em campo pelo Catarinense

Avaí enfrentará a Chapecoense nas quartas de final, tendo a vantagem de decidir como mandante

por Agência Futebol Interior

Florianópolis, SC, 22 (AFI) - O ex-meia Marquinhos, hoje gerente de futebol, ameaçou não colocar o Avaí em campo se o clube de Florianópolis não puder atuar no estádio da Ressacada no Campeonato Catarinense. A prefeitura da cidade proibiu a prática esportiva por tempo indeterminado devido ao novo coronavírus. Nem treinos o Avaí tem feito em sua casa.

"A decisão já visível para todo mundo é que se não tiver a Ressacada o Avaí não joga, não entra em campo. Também tem que ter o CT para treinar pelo menos uns 10, 15 dias antes de começar os jogos. Se a gente não tiver, não vamos a campo. O nosso jurídico vai trabalhar", disse Marquinhos à rádio CBN de Florianópolis.

Falou grosso. (Foto: André Palma Ribeiro/Avaí FC)
Falou grosso. (Foto: André Palma Ribeiro/Avaí FC)
VANTAGEM!

Melhor clube da primeira fase, o Avaí enfrentará a Chapecoense nas quartas de final, tendo a vantagem de decidir como mandante. O primeiro confronto está marcado para 8 de julho, às 21h30, na Arena Condá, em Chapecó (SC), e a volta será em 12 de julho, às 16 horas.

"O Avaí quer jogar e vai jogar na Ressacada. Se não tiver a Ressacada, a gente não participa do campeonato. O que decidimos é que a Ressacada é a nossa casa e por direito conquistamos o mínimo possível de vantagem de jogar lá, e fora dela não vamos jogar", completou o dirigente.

Sem poder treinar em Florianópolis, o Avaí vem realizando os treinamentos presenciais em Palhoça.