Augusto Inácio fecha treino, mas confirma mudanças no Avaí e deverá ter reforço

Leão pegará Criciúma neste domingo, às 16 horas, no estádio da Ressacada, em Florianópolis, pela quinta rodada do Catarinense

por Agência Futebol Interior

Florianópolis, SC, 07 (AFI) - O técnico Augusto Inácio gosta de realizar treinos fechados no Avaí. A preparação para o jogo contra o Criciúma neste domingo, às 16 horas, no estádio da Ressacada, em Florianópolis, pela quinta rodada do Campeonato Catarinense não foi diferente. Ele, ao menos, adiantou que o time terá mudanças.

Uma destas novidades deverá ser a entrada do jovem atacante Vinícius Jaú, contratado nesta semana junto ao Benfica. Aos 21 anos, ele assinou contrato por cinco anos e já treinou entre os titulares. Vinícius teve seu nome publicado no Boletim Informativo Diário (BID), da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

"Os jogadores estão chegando, mas só o Vinicius treinou. Nem Gastón, nem Kelvin ainda iniciaram os treinos. No meio das dificuldades, vimos uma nova perspectiva. Isso faz o treinador mudar. Hoje não estou seguro no 4-2-3-1", explicou o treinador.

Mistério e mudança. (Foto: André Palma Ribeiro/Avaí F. C.)
Mistério e mudança. (Foto: André Palma Ribeiro/Avaí F. C.)
NOVO ESQUEMA!

Augusto Inácio prefere o esquema 3-5-2, mas não poderá contar com o zagueiro Zé Marcos, suspenso. Betão e Aírton deverão formar a dupla defensiva.

"Vai haver mudanças sim. O sistema não vou dizer, por isso fiz treino fechado. Tive dúvidas no treino que fiz. Falei para eles que não gostei muito, da forma que ocupamos os espaços sem bola. E aqui o jogador gosto de jogar com a bola no pé, não gosto de jogar sem bola e ainda mais cobrindo espaços. Isso requer treinos e repetição. Conto com a inteligência dos atletas para entender as minhas ideias", explicou o português.

Na vice-liderança com sete pontos, dois a menos do que o líder Brusque, o atual campeão Avaí deverá ir a campo, apesar do mistério do treinador, com Lucas Frigeri; Lourenço, Betão, Aírton e Capa; Pedro Castro, Wesley e Renato; Rildo, Vinícius e Jonathan.

"Time não está definido. Treinamos de porta fechada não por falta de respeito, mas porque precisamos trabalhar mais cômodos. Sabemos da responsabilidade do jogo contra o Criciúma, temos respeito. São apenas três semanas de trabalho e já vamos para o sexto jogo. Há jogadores com muita sequência de 90 minutos em campo. É tentar gerir de uma forma inteligente", finalizou Augusto Inácio.