Pela porta da frente, Geninho vê 'momento certo' para deixar o Avaí

Na visão de Geninho, a parada do Campeonato Brasileiro para a Copa América pode ser um ‘trunfo’ para o Avaí

por Agência Futebol Interior

Florianópolis, SC, 18 (AFI) - Geninho saiu do Avaí pela porta da frente. Na lanterna do Campeonato Brasileiro, com 12 jogos consecutivos sem vencer, o treinador entendeu que o clube precisava de uma mudança para ‘reagir’ e entregou o cargo após a derrota para o Palmeiras por 2 a 0. Na última segunda-feira ele se reuniu com o presidente o presidente Francisco Battistotti e acertou a rescisão amigável de contrato, abrigando espaço para um novo profissional.

Em entrevista para a rádio CBN/Diário, de Florianópolis, Geninho confessou que colocou seu cargo à disposição: “Terminou o jogo contra o Palmeiras, me reuni com a diretoria e comissão técnica, coloquei para eles que era melhor colocar coisas profissionais, deixando de lado a amizade e o carinho que tenho com o presidente Battisotti e outros do clube. Achei que era o momento, apesar de fazer jogos razoáveis. Era hora de fazer uma mudança, era o momento”.

Pela porta da frente, Geninho vê 'momento certo' para deixar o Avaí
Pela porta da frente, Geninho vê 'momento certo' para deixar o Avaí
Na visão de Geninho, a parada do Campeonato Brasileiro para a Copa América pode ser um ‘trunfo’ para o Avaí com o novo treinador. Lanterna da competição com apenas quatro pontos, o elenco ganhou folga até a próxima segunda-feira, dia 24, quando se reapresenta na Ressacada para o primeiro trabalho. Na terça o grupo embarca para Águas Mornas, na região metropolitana de Florianópolis, para fazer uma ‘intertemporada’.

“Com a parada, a diretoria teria tempo para ir atrás, o profissional teria mais chance de ter uma retomada, conhecer o elenco, ter tempo para trabalhar, tentar uma caminhada diferente do que fizemos até agora. Expliquei que poderíamos reagir, basta que se chegue dois a três reforços no ataque, que vai produzir mais”, finalizou o treinador.