Avaí será julgado por invasão de torcedores na final do Catarinense

Clube foi enquadrado no artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, sob o risco de perder até dez mando de campos

por Agência Futebol Interior

Florianópolis, SC, 25 (AFI) - O Avaí será julgado em razão da invasão de torcedores ocorrida no último domingo, quando foi campeão catarinense ao vencer a Chapecoense nos pênaltis, após empate por 1 a 1, na Ressacada. Presidente do Tribunal de Justiça Desportiva de Santa Catarina (TJD-SC), Felipe Branco Bogdan aceitou a denúncia e marcou o julgamento para a próxima terça-feira, dia 30 de abril.

O clube foi enquadrado no artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, sob o risco de perder até dez mando de campos. Além disso, existe a possibilidade de tomar uma multa de R$ 100 a R$ 100 mil.

A invasão começou logo após a cobrança de pênalti de Bruno Pacheco, da Chapecoense. A bola bateu na trave e depois no gramado, em movimento que gerou dúvida se a linha havia sido ultrapassada ou não.

Foto: André Palma Ribeiro/Avaí F. C.
Foto: André Palma Ribeiro/Avaí F. C.
O árbitro Bráulio da Silva Machado ainda aguardava a checagem do VAR quando os primeiros invasores entraram em campo para comemorar o título, confirmado minutos depois. Todo o episódio foi relatado na súmula da partida.

IMPUGNAÇÃO
Em outra ação, não relacionada com o caso que será julgado na terça-feira, a Chapecoense citou a invasão em um dos argumentos para pedir a impugnação da final. O clube considera que a cobrança de Bruno Pacheco atravessou a linha e que a presença de torcedores no gramado durante a checagem do VAR intimidou a arbitragem na hora da decisão. O julgamento do pedido da Chape ainda não tem data marcada.