Advogado prepara ação contra Marcinho; família da vítima critica Athletico

O jogador está sendo investigando por atropelar um casal de professores, ambos morreram

por Agência Futebol Interior

Curitiba, PR, 01 (AFI) - O lateral Marcinho, ex-Botafogo, sofrerá uma ação por ter atropelado Alexandre Silva Lima e Maria Cristina José Soares, em véspera de ano novo, no Rio de Janeiro. O casal acabou falecendo. O jogador, anunciado como reforço do Athletico, não prestou ajuda.

O advogado Márcio Albuquerque salientou que a defesa do atleta busca evitar o processo criminal e tenta ainda uma indenização para a família das vítimas.

"A indenização é cabível pelo fato em si que ocorreu. Já está comprovado que ele dirigia o carro, que está em nome da empresa do pai. Isso independe do ANPP ou de aceitação ou não da denúncia", explicou ao UmDois Esportes.

FAMÍLIA
O advogado ainda revelou que a família está incrédula com a decisão do Athletico em contratar o lateral em meio à uma investigação policial. O jogador teve o contrato encerrado com o Botafogo um dia depois do acidente.

Marcinho foi contratado pelo Athletico
Marcinho foi contratado pelo Athletico
"Os familiares ainda estão abalados, e realmente não gostaram da notícia. Caiu como se fosse um prêmio ao jogador. Ele sequer indenizou as vítimas e já ganha um contrato? Ele não deveria pensar primeiro em indenizá-las?", disse.

MAIS DELE!
Marcinho foi denunciado pelo Ministério Público por supostamente ter atropelado e matado um casal de professores na Zona Oeste da capital carioca. De acordo com a investigação, o lateral estaria dirigindo em velocidade acima do permitido, quando deu causa ao acidente e fugiu sem prestar socorro.

Dentro de campo, o lateral surgiu com grande destaque no time do Botafogo que foi campeão Carioca em 2018. No ano seguinte manteve o bom futebol e chegou a ser convocado por Tite para a Seleção Brasileira. Em 2020 sofreu grave lesão e passou por cirurgia, ficando de fora de boa parte da temporada.