Petraglia admite culpa do Athletico em caso de doping e diz que atletas são vítimas

Presdiente athleticano disse que suplementação tomada por Camacho e Thiago Heleno foram indicadas por profissional do clbe

por Agência Futebol Interior

Curitiba, PR, 13 (AFI) - Presidente do Athletico-PR, Mário Celso Petraglia esclareceu nesta segunda-feira, em entrevista coletiva, alguns pontos do caso de doping envolvendo o zagueiro Thiago Heleno e o volante Camacho. O mandatário disse que o clube assume toda a responsabilidade pelo episódio e livrou os atletas de qualquer culpa, uma vez que eles consumiram a substância proibida sob recomendação de profissionais do próprio Athletico.

“Nosso objetivo básico, fundamental e determinante é assumirmos a culpa e a responsabilidade da ocorrência e buscamos de todas as formas e maneiras a isenção dos atletas. Eles foram absolutamente vítimas. A legislação nos obriga e penaliza em função de eles terem ingerido um produto que está listado como impeditivo, que não deveriam ter tomado”, afirmou Petraglia.

ASSUNTO IMPORTANTE
Segundo o presidente, os jogadores ingeriram a higenamina, substância proibida pelo controle de dopagem, por meio do consumo de suplementos para perda de peso. Como o ato se consumou por intermédio de um dos empregados do clube, uma sindicância interna foi aberta para apurar o caso.

Foto: Gustavo Oliveira / Athletico Paranaense
Foto: Gustavo Oliveira / Athletico Paranaense
“Foi a pior notícia que ouvi em duas décadas de clube. Esse assunto é um dos mais importantes que temos dentro de uma instituição. A preocupação de não expormos os nossos atletas, faz parte da nossa cultura. Já tivemos alguns casos na nossa história, mas nenhum como este”, lamentou Petraglia, abatido.

SITUAÇÃO
O Athletico foi notificado pela Conmebol sobre o doping na última sexta-feira. Thiago Heleno foi pego no exame no dia 9 de abril, no jogo contra o Tolima, pela quarta ridada da Libertadores, e está afastado temporariamente pela entidade sul-americana.

Já Camacho, que passou pelo exame no dia 24 de abril, após jogo contra o Jorge Wilstermann, está afastado preventivamente pelo clube, no aguardo por uma manifestação oficial da Conmebol e pelo resultado da contraprova.