Sampaoli se despede do Atlético-MG em carta; ex-São Paulo ganha força

O técnico argentino acabou sendo liberado por conta de uma proposta irrecusável do Olympique de Marseille

por Agência Futebol Interior

Belo Horizonte, MG, 22 (AFI) - O que era apenas um rumor quase certo, se tornou oficial na tarde desta segunda-feira (22). Em uma carta oficial divulgada à imprensa, o técnico Jorge Sampaoli confirmou que está mesmo de saída do Atlético-MG e se despede do Galo na quinta-feira (25), quando acontece a última rodada do Brasileirão, em um duelo contra o Palmeiras.

Mesmo sendo sua despedida, Sampaoli não poderá estar no banco de reservas, pois foi expulso no último domingo, no triunfo por 3 a 2 sobre o Sport, na Ilha do Retiro, resultado que assegurou a classificação da equipe à fase de grupos da Copa Libertadores. O time, assim, será dirigido, na despedida de Sampaoli, por Jorge Desio, seu auxiliar técnico.

Mesmo com contrato até o final da temporada de 2021, ele acabou liberado por conta de uma proposta irrecusável do Olympique de Marseille, da França, e pela diretoria entender que o custo benefício do argentino e de sua comissão técnica ser muito alta.

TRAJETÓRIA E BUSCA POR NOVO TÉCNICO
Anunciado pelo Atlético-MG em março, Sampaoli conduziu o time ao título estadual, mas falhou na busca pelo título nacional, apesar dos altos investimentos feitos pelo clube, caindo de produção no segundo turno, especialmente em jogos fora de casa. Até agora, dirigiu o time em 44 jogos, com 25 vitórias, 9 empates e 10 derrotas.

Agora, a briga é para saber quem será que vai ser o novo técnico do Galo, que além de ter várias estrelas em seu elenco, segue contratando nomes de peso, como o atacante Hulk. Nas últimas horas, um nome que ganhou força em Belo Horizonte foi o de Fernando Diniz, ex-São Paulo.

Sampaoli se despede do Atlético-MG em carta aberta
Sampaoli se despede do Atlético-MG em carta aberta

LEIA A CARTA DIVULGADA POR SAMPAOLI NA ÍNTEGRA:
"O ano de 2020 foi duríssimo para a humanidade. Nós temos de ser criativos e quisemos construir um time que, ao passar na TV, fizesse esquecer a tristeza por um momento. Não nos propusemos simplesmente a ganhar: tentamos ser felizes.

Não houve um só dia no Atlético Mineiro em que abandonássemos nossa ideia sobre futebol. Este time teve a valentia de jogar dentro e fora de casa da mesma forma. Jamais renunciamos a pensar na trave do rival. O Galo colocou seu coração em todo o país. Isso me dá um orgulho impressionante. Desejo que seja uma ideologia que se mantenha no clube. O futebol brasileiro tem um talento infinito e me fez reencontrar com a beleza do jogo, algo que irá me marcar para sempre.

Chegou o final. Na quinta, será a última partida. Saio com a nostalgia de não poder ter dirigido com o estádio cheio. Sei que nos emocionamos muito. Queria viver os vídeos que tinha visto de uma torcida apoiando sem parar.

Quero agradecer a todo o clube. Aos jogadores, pela entrega. A todos os funcionários da instituição, por colocar a alma nesse projeto. Aos dirigentes, por nos dar grandes condições de trabalhar. À cidade, por nos tratar tão bem.

O Galo está destinado a brigar por grandes coisas. Sei que as vitórias virão. Gosto muito de vocês e desejo que sigam caminhando com o coração como guia.

Jorge Luis Sampaoli"