Centro de Inteligência do Galo ajuda Júnior Chávare a lapidar talentos

Trabalho de diretor, contratado no fim de maio para substituir o ex-atacante Marques, já surte efeitos

por Agência Futebol Interior

Belo Horizonte, MG, 23 (AFI) - Contratado no fim de maio para substituir o ex-atacante Marques na diretoria das categorias de base, o trabalho de Júnior Chávare já rende frutos ao Atlético-MG em curto prazo.

O cartola desembarcou em Belo Horizonte com a missão de resgatar a tradição de 'clube formador', com casos recentes do zagueiro Jemerson e do meia-atacante Bernard, negociados por alto valor ao futebol internacional, e se debruçou no dia a dia do Galo para detectar as principais deficiências.

Uma das principais ferramentas que ajudam Chávare a desenvolver sua metodologia é a Central de Inteligência do Galo (CIGA).

Chávare revoluciona categoria de base do Atlético-MG
Chávare revoluciona categoria de base do Atlético-MG

"É um departamento em que vamos agrupar analistas de mercado e analistas técnicos. Eles fazem todo levantamento estatístico e de campeonatos em andamento. É, na verdade, o nosso banco de dados, onde as principais informações estão reunidas", comentou.

"Preparamos material da equipe principal até às categorias de base. Isso inclui atletas que estão se destacando, os monitorados ou os oferecidos. É algo pormenorizado. Um estudo de lances, melhores momentos, análise de perfil e potencialidade de crescimento", emendou.

Ciente das necessidades de evolução, o dirigente revela que a prioridade das categorias de base alvinegra não é o título, mas sim revelar para suprir as necessidades do elenco profissional.

"Não priorizo títulos. A meta é revelar. Há três tipos de jogadores: os que se revelam e nem vestem tanto a camisa do time principal, o segundo tipo, que gera campeonatos ao clube e fica nos quadros e, por último, aqueles que ganham torneios, marcam nome e ainda geram retorno financeiro", pontuou.