MINEIRO: Atlético goleia o Boa por 5 a 0 e avança para a sua 13ª final seguida

A surpresa do jogo foi a presença do VAR, que foi acionado três vezes

por Agência Estado

Belo Horizonte, MG, 07 - Em jogo no qual a arbitragem de vídeo (VAR) roubou a cena, o Atlético-MG carimbou a vaga na final do Campeonato Mineiro pelo 13º ano seguido. Na tarde deste domingo, a equipe comandada por Levir Culpi goleou o Boa por 5 a 0, no Mineirão, em Belo Horizonte, e selou a classificação.

COBERTURA COMPLETA

O Portal FUTEBOL INTERIOR acompanha todos os Campeonatos Estaduais do Brasil online pelo PLACAR AO VIVO e também depois com comentários e destaques da rodada.

Baixe também o Aplicativo - App Placar FI - tanto pelo Google Play como APP Store.

VEJA TODOS OS DETALHES DOS ESTADUAIS!

GALO X RAPOSA

O adversário atleticano na final será o Cruzeiro. Como teve melhor campanha que o rival, o time de Levir Culpi joga por dois empates para se sagrar campeão.

No primeiro jogo, disputado em Varginha, as equipes empataram por 0 a 0. Como teve melhor campanha na primeira fase, o Atlético jogava por outro empate, mas não quis saber da vantagem e dominou completamente o duelo, abrindo vantagem no primeiro tempo.

A curiosidade da partida foi o VAR ter entrado em ação três vezes durante o jogo, uma delas anulando um gol marcado por Luan, aos 18 minutos. Entre as análises feitas pelos árbitros de vídeo, o jogo ficou parado pouco mais de dez minutos.

ATROPELO
Já na última sexta-feira, Levir Culpi havia confirmado que escalaria força máxima em campo neste domingo, mesmo com o seu time tendo compromisso decisivo na Libertadores no meio de semana. Porém, ele trouxe como novidade a escalação de Geuvânio entre os titulares. A opção deu resultado.

Com menos de dez minutos, os atleticanos levaram perigo duas vezes ao gol de Renan Rocha em cabeçadas de Réver e Ricardo Oliveira. Depois, quem apareceu com estaque foi o VAR. Aos 18 minutos, em nova jogada pelo alto, a bola passou por todo mundo e sobrou para Luan completar no segundo pau.

A arbitragem de vídeo, no entanto, foi acionada e o juiz Anderson Daronco invalidou o lance por uma falta no início da jogada. Foi o terceiro gol anulado do Atlético-MG pelo VAR.

SEM PARAR
Menos de um minuto depois, novo levantamento e novo gol do Atlético-MG. Em bola alçada por Cazares, Luan pegou a sobra para marcar.

Novamente, a arbitragem foi ver o lance no vídeo. Depois de quatro minutos, Daronco validou o gol.

FOI PRA CIMA
O Atlético-MG não quis saber das paralisações e foi para cima. Aos 40 minutos, após contra-ataque, Cazares acionou Elias, que tabelou com Ricardo Oliveira e rolou para o gol vazio. Ainda no primeiro tempo, aos 48, Cazares cobrou escanteio fechado e Victor, contra a própria meta, colocou dentro do gol.

VIROU GOLEADA
Geuvânio, o estreante da tarde, transformou a vitória em goleada no começo do segundo tempo. O atacante acabou recebendo um presente da defesa do Boa. Em bola recuada, Fernando Fonseca escorregou na frente do camisa 11, que ficou com a bola, invadiu a área e finalizou com precisão.

No decorrer do segundo tempo, Levir deu oportunidades para alguns reservas como Vinicius e Chará. A dupla fez linda tabela no quinto gol, marcado por Vinícius, aos 29 minutos. Novamente, o VAR foi acionado após a arbitragem marcar impedimento, mas, desta vez, confirmou o gol. Festa da torcida atleticana.

Confira os resultados da 2ª rodada
Cruzeiro
3
x
0
América-MG
Atlético-MG
5
x
0
Boa Esporte-MG

Ficha Técnica

Fase
Semifinal
Rodada
2ª rodada
Data
07/04/2019
Horário
16h00
Local
Mineirão - Belo Horizonte (MG)
Árbitro
Anderson Daronco

Renda
R$436.456,00
Assistentes
Bruno Boschilia e Felipe Alan Costa de Oliveira

Público
44.981
Cartões Amarelos
Atlético: Réver
Boa Esporte: César Sampaio

Gols
Atlético: Luan 24' 1T, Elias 40' 1T, Victor 48' 1T (contra), Geuvanio 1' 2T, Vinícius 29' 2T
Atlético
Victor;
Guga, Réver (Leonardo Silva), Igor Rabello e Fábio Santos;
Adilson, Elias, Luan (Chará) e Cazares (Vinicius);
Geuvânio e Ricardo Oliveira.
Técnico: Levir Culpi
Boa Esporte
Renan Rocha;
Chiquinho, Fernando, Ferreira (Victor) e Wenderson;
César Sampaio, Gabriel Vieira (Dênis) e Claudeci;
Gindré (Jaime), Kaio e Gustavo Henrique.
Técnico: Cesinha