Mineiro: Técnico do Atlético-MG prevê bons jogos contra o Cruzeiro na final

Antes da primeira partida, porém, os dois times têm jogos importantes pela Copa Libertadores

por Agência Estado

Belo Horizonte, MG, 08 - Atlético-MG e Cruzeiro farão pelo terceiro ano seguido a final do Campeonato Mineiro. Os dois rivais passaram com facilidade pelas semifinais e se enfrentarão em dois jogos com a vantagem de dois resultados iguais para o time alvinegro por ter feito melhor campanha.

Ambos terão compromisso no meio de semana pela Copa Libertadores, mas o técnico Levir Culpi já pensa no primeiro duelo da decisão no próximo domingo, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte.

"É o jogo do ano para o torcedor. É o adversário principal. Gera um aspecto psicológico muito abrangente.

É isto o que faz o futebol ser bom: a rivalidade entre dois clubes, como, por exemplo, Atlético e Cruzeiro", afirmou o treinador atleticano.

"Irão jogar Atlético e Cruzeiro. Então, o tamanho da vantagem vai depender do jogo, do que vai acontecer. Podemos até aumentar a vantagem, dependendo do que acontecer, mas são dois jogos e, de qualquer forma, o time vai ter que jogar bem duas vezes", disse Levir Culpi.

Levir Culpi falou sobre o encontro entre Atlético-MG e Cruzeiro na final do Mineiro
Levir Culpi falou sobre o encontro entre Atlético-MG e Cruzeiro na final do Mineiro

COMPARAÇÃO
O técnico fez um paralelo entre seu trabalho no Atlético-MG e o de Mano Menezes, comandante do Cruzeiro.

"Eles têm uma base um pouco mais sólida, de algum tempo. Mas quando entra Cruzeiro e Atlético, América e Atlético, América e Cruzeiro, não se sabe o que vai acontecer.

A diferença não é tão grande assim no confronto porque envolve uma série de situações, inclusive o crescimento do Atlético neste momento", complementou.

DECISÃO NA LIBERTADORES
Antes da decisão, o Atlético-MG terá um duelo de suma importância na Libertadores contra o Cerro Porteño, nesta quarta-feira, no Paraguai. O time alvinegro precisa vencer para seguir com chances de classificação às oitavas de final.

"Imagino, para quarta-feira, um ambiente completamente diferente, um ritmo de jogo também diferente, até com relação à parte tática, entrega física e disposição técnica. A Libertadores, por si só, inclui alguns elementos que transformam a competição, principalmente na questão física", concluiu Levir Culpi.