Botafogo pode cobrar R$ 15 milhões do Guarani se perder Bruno Mendes

A diretoria alvinegra se preveniu com cláusula contratual. Quem pagará a conta?

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 10 (AFI) – O Botafogo promete não sair de “mãos abanando” caso o contrato com o atacante Bruno Mendes seja mesmo cancelado pela Justiça. Ciente do imbróglio judicial em que o jogador estava envolvido (clique aqui para saber mais), a diretoria alvinegra inseriu no contrato uma cláusula em que cobrará 6 milhões de euros (R$ 15,6 milhões) pela quebra do acordo.

Bruno Mendes (centro) virou ídolo no Fogão

A grande dúvida é sobre quem pagaria esta “conta”. O contrato prevê que os detentores dos direitos econômicos da promessa arquem com o prejuízo. Hoje, os detentores dos direitos são o grupo HAZ Sport Agency, que pagou R$ 7 milhões pelo atleta e o registrou no Macaé.

No entanto, no dia 22 de outubro, o juiz Maurício Bearzotti de Souza determinou que a CBF cancelasse o registro de Bruno Mendes. Tudo porque os direitos do atacante estavam penhorados por conta de duas ações trabalhistas contra o Guarani, que não poderia tê-lo negociado.

Uma das ações executadas foi do ex-zagueiro Andrei que cobra cerca de R$ 550 mil referente a atrasos do período em que atuou no clube em 2005. Além disso, os direitos do jogador também estão penhorados por outra ação movida pelo ex-funcionário Mauro Roselli.

Antes da HAZ Sport Agency adquirir os direitos de Bruno Mendes, eles estavam divididos entre Guarani (55%) e a empresa Ardizzone Consultoria LTDA (45%). Resta saber quem seriam os responsáveis por pagar a multa ao Botafogo: HAZ Sport Agency, Macaé, Guarani ou Ardizzone Consultoria LTDA?

Nesta sexta-feira, o empresário do atleta, Gustavo Arribas, afirmou que a culpa de todo imbróglio é o Guarani, ou seja, na visão dele o Bugre é quem precisa arcar com tudo. “Se a dívida é do Guarani, problema é do Guarani. No ato do acordo, não havia nenhum tipo de limitação. Depositamos o dinheiro na conta que nos foi passada”, afirmou, revelando não ter recebido comunicado oficial da Justiça.

 
 
" />