Presidente de time da Série B alfineta disputa com Bragantino: "Injusta"

Adson Batista chamou a responsabilidade pelo desempenho do Atlético-GO

por Agência Futebol Interior

Goiânia, GO, 27 (AFI) - O Atlético Goianiense foi um dos times que mais permaneceram dentro do G-4 na atual temporada da Série B, mas a queda de produção tirou o time da zona de acesso bem nas rodadas finais. Não dependendo mais de si para avançar, o presidente Adson Batista defendeu o desempenho do clube na competição e aproveitou para alfinetar a disputa com o Bragantino, que, neste ano, foi adquirido pelo Red Bull.

"Falta um pouco de investimento para nós. É muito injusto que a CBF aceite um clube como o Red Bull (parceira do Bragantino) não começar na Série D. É desrespeito com quem está lá. Tinha que começar de lá, na escadinha. Chegaram, compraram um clube, esbanjaram dinheiro, dando R$ 9 mil de prêmio a cada jogador por jogo. É um absurdo e estamos nessa briga. Tem outros clubes partindo para esse patamar. Levo o clube na conversa, sem chegar a esses valores. Não é fácil, está muito desproporcional. Mas enquanto eu tiver força e prazer vou seguir no futebol", falou o mandatário.

"Nossa campanha é muito boa, podemos chegar a 64 pontos e não conquistar o acesso. Mas estou muito feliz por tudo o que foi feito no clube esse ano. Foi um ano quase perfeito. Será perfeito se subir. Prefiro muito mais estar disputando o acesso do que cair para a Série C. Nada contra o Vila Nova, respeito as pessoas de lá e já quase caí para a Série C. Hoje o Atlético-GO é grande na Série B porque temos nossa forma de trabalhar. Isso tem que ser respeitado e reconhecido, fizemos um estádio sem dinheiro, temos CT. A imprensa goiana tem que começar a mudar os conceitos. Para tudo é preciso achar um culpado e um alvo. Se a gente não subir, não significa que o mundo vai acabar. Temos toda a estrutura para o futuro", completou o presidente.

 Adson Batista falou sobre situação do Atlético-GO
Adson Batista falou sobre situação do Atlético-GO

Adilson Batista aproveitou também para fazer críticas à imprensa. "Acho que parte da imprensa não tem qualificação. Não estou aqui para citar nomes, mas são muitos. A imprensa não é culpada de nada, não faz é nada para crescer o futebol goiano. Tinha que ser mais positiva, defender os clubes, não vejo esse perfil aqui. A imprensa não é culpada, as decisões são minhas. A imprensa só não contribui, forma opinião, cria situações em cima do “achismo", falou.

SÉRIE B
Na quinta colocação, com 61 pontos, o Atlético-GO terá que vencer o Sport no sábado, às 16h30, no estádio Antônio Accioly, e torcer por um tropeço do América-MG, 61, frente ao São Bento, na Arena Independência, ou uma derrota do Coritiba diante do Vitória, no Barradão.