Segundona: Venda do Teixeirão, estádio do América, não atrai compradores em leilão

Justiça do Trabalho tenta vender o imóvel para sanar as dívidas trabalhistas do time de São José do Rio Preto

por Agência Futebol Interior

São José do Rio Preto, SP, 06 (AFI) - O leilão do Estádio Benedito Teixeira, praça de esporte do América-SP, mais uma vez não deu em nada.

Desde 2013, a Justiça do Trabalho de São José do Rio Preto tenta vender o Teixeirão para sanar as dívidas trabalhistas americanas, as quais giram em torno de R$ 10 milhões com 134 ex-funcionários do clube.

Em 02 de maio deste ano, a juíza Daniela Rezende Ferreira Borges nomeou quatro corretores para a venda do imóvel - o estádio foi avaliado pela Justiça no valor de R$ 35 milhões, mas foi colocado à venda por 60% do valor, despencado as cifras para R$ 21 milhões. Agora, sem interessados, um novo leilão será agendado pela magistrada.

Venda do estádio do América-SP não atrai compradores em leilão
Venda do estádio do América-SP não atrai compradores em leilão

LEILÃO VIRA CPI NA CÂMARA

No mês passado, a Câmara de Vereadores de São José do Rio Preto abriu CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para tentar salvar o Teixeirão da venda direta, autorizada pela Justiça do Trabalho, e recuperar a área para o município.

O pedido foi feito pelo vereador Jean Dornelas (PSL), o qual conta com boas relações junto à atual direção do Rubro. O edil colheu as assinaturas dos vereadores Anderson Branco (PL), Celso Peixão (PSB), Cláudia De Giuli (PMB), Gerson Furquim (Progressistas), Pedro Roberto (Patriotas), Renato Pupo (PSD) e Zé da Academia (DEM).

"Queremos investigar e, principalmente, buscar alternativas para que a torcida americana continue utilizando o estádio, mas que esse patrimônio não seja perdido por causa de algumas más administrações", explicou Dornelas.