Tradicional clube do interior paulista vê maior patrimônio ir a leilão

Estádio Benedito Teixeira, o Teixeirão, é a casa do América, equipe que está na Segundona Paulista

por Agência Futebol Interior

São José do Rio Preto, SP, 24 (AFI) – Um dos clubes mais tradicionais do interior de São Paulo, o América vive o pior momento de sua gloriosa história. Fundado em 28 de janeiro de 1946, os rio-pretenses disputam apenas o Campeonato Paulista da Segunda Divisão. Para piorar, a Justiça do Trabalho de São José do Rio Preto determinou que o estádio Benedito Teixeira, o Teixeirão, seja vendido para amortizar dividas administrativas.

O imóvel, localizado em terreno 3 mil m² e com capacidade para quase 37 mil torcedores, é avaliado em R$ 35 milhões. Porém, entre 3 de junho e 2 de setembro, quatro corretores nomeados pela juíza Daniela Ferreira Borges estão autorizados a receber propostas de compra com lance inicial de apenas R$ 21 milhões. O valor arrecado deverá quitar mais de 130 dívidas trabalhistas, que, somadas, ultrapassam R$10 milhões.

HISTÓRICO
O estádio Benedito Teixeira foi inaugurado em 1996, 17 anos após o início de sua construção. Em 10 de fevereiro daquele ano, para um público oficial de 17.585 pessoas, o São Paulo foi até São José do Rio Preto e venceu por 3 a 2. Valdir, atacante tricolor, foi o responsável por fazer o primeiro gol da nova casa americana, a qual tem capacidade para 36.426 espectadores.

O imóvel foi batizado em homenagem a Birigui, ex-ponta-esquerda, principal presidente da história do clube e responsável por idealizar a construção do estádio. Nascido em 24 de julho, Bendito Teixeira faleceu em 10 de janeiro de 2001 e pôde acompanhar os melhores momentos da história do clube.

Teixeirão vai a leilão (Foto: Divulgação)
Teixeirão vai a leilão (Foto: Divulgação)

O primeiro grande título foi o Campeonato Paulista da Segunda Divisão de 1957 – o equivalente ao Campeonato Paulista da Série A2 dos dias atuais. À época, somente o vencedor da divisão garantia o acesso, que fora instituído em 1948, quando o XV de Piracicaba foi campeão. O cartola, inclusive, chegou a ver o América no Brasileirão.

Em 1978, o clube participou do principal torneio do país e fez campanha bastante honrosa, tendo avançado à segunda fase. O campeão seria o Guarani, única equipe do interior a conquistar tal taça. A decadência da equipe começou em 2007, quando caiu da A1 para a A2 do Paulista.

Foram cinco anos no segundo escalão estadual, os quais chegaram ao fim em 2012, com novo descenso. No Paulista A3, a equipe rubra durou apenas uma temporada e, em 2014, chegou ao fundo do poço, de onde ainda não saiu e se depara com difícil perspectiva.