Carioca: America reclama de arbitragem e sugere favorecimento ao Americano

Mecão aparece na segunda colocação do Grupo X, o quadrangular que vai livrar apenas uma equipe do rebaixamento

por Agência Futebol Interior

Rio de Janeiro, RJ, 10 (AFI) - O America recebeu o Friburguense, no Giulite Coutinho, em Mesquita, na tarde do último, pela quarta rodada do Grupo X, o quadrangular que vai livrar apenas uma equipe do rebaixamento no Campeonato Carioca, e ficou no empate por 2 a 2, após estar vencendo por 2 a 0.

No entanto, o gol de empate do Frizão, marcado por Toshi, aos 40 minutos do segundo tempo, tem gerado reclamações. O Mecão alega que o jogador adversário ter marcado o tento com o braço - ou seja, o árbitro Philip Goerge Bennett deveria ter anulado.

"Contra o Friburguense, o atacante deles fez um gol com o braço. Fica até difícil trabalhar desta forma. O Grupo X não tem muita visibilidade em termos de TV e isso torna as coisas ainda mais difíceis Perdi o controle, mas foi um absurdo. O jogador do friburguense faz o gol com o braço, o bandeira ameaçou levantar a bandeira, quando viu que o juiz confirmou e ele desistiu e correu para o meio", disse o técnico Álvaro Gaia.

"Está uma vergonha. Já sofremos com vários problemas da competição. Sei que são seres humanos que estão apitando, vai acontecer erros, mas é preciso preparar melhor eles para apitar. Peço desculpas pelo desabafo, mas peço árbitros mais capacitados. As vezes ele está até bem capacitado, mas emocionalmente também tem que estar preparado", completou.

Foto: Divulgação / America
Foto: Divulgação / America
MAIS RECLAMAÇÕES
Após quatro rodadas, o Americano lidera, com sete pontos, e estaria livre do rebaixamento, garantindo um lugar na Seletiva Carioca de 2021. America e Friburguense, com cinco, e Nova Iguaçu, com quatro, iriam para o Grupo Z, cujo lanterna desta chave estará rebaixado para o Carioca Série B1 de 2020.

"Não tem o que falar, o gol do Friburguense foi uma mão clara. Eu não tenho dúvidas. Não é um lance duvidoso. A regra é clara. Toque de mão do atacante é falta. Treinamos a semana toda e se o resultado não vem, somos xingados pelos nossos torcedores", falou o goleiro Deola ao Futrio.

"Não fomos merecedores do resultado, não jogamos tão bem para vencer. Mas estávamos ganhando o jogo, estávamos segurando bem a partida. E novamente, num lance de total influência da arbitragem, fomos prejudicados. Começa a ficar chato, toda vez eu estou falando", destacou.

O presidente americano Sidney Santana foi além e sugeriu um favorecimento ao Americano - o mandatário do Cano, Carlos Abreu, é também Corregedor Geral da Arbitragem do Rio de Janeiro.

CONFIRA A NOTA OFICIAL DO AMÉRICA ASSINADA PELO PRESIDENTE RUBRO
"É lamentável o que foi presenciado no campo de futebol do America, jogo America x Friburguense.

Uma sucessão de erros extremamente grosseiros de arbitragem por parte do árbitro e de seus auxiliares, tendo como consequência um resultado desta partida, injusto, indigno e que mancha fortemente a dignidade do espírito esportivo. Vergonhoso!
Há uma imensa diferença da interpretação errônea por parte do árbitro, entre um lance de difícil visibilidade e de um lance de clareza inquestionável sob qualquer ângulo.
E repetimos, lamentavelmente, foi isto que foi presenciado durante esta partida, onde foi validado o gol de empate do Friburguense, em um lance claríssimo para todos os presentes, que o atacante do Friburguense se atira à bola carregando-a com o braço e mão para dentro do gol, neste caso evidenciando não um simples erro de arbitragem, mas sim um erro intencional por parte do árbitro, o qual estava presente no lance e não tinha como não ver.
Antes da partida America x Friburguense, o America estava na liderança por saldo de gols. Por óbvio uma vitória manteria o America na liderança, independentemente da goleada aplicada pelo Americano frente ao Nova Iguaçu.
Este erro primário, grosseiro e intencional da arbitragem, resultou na quase impossibilidade do America vir à ser vencedor do grupo X do Campeonato Carioca! E o Grupo X garante ao vencedor a vaga na Seletiva.
Pelo certo e merecidamente, a vitória seria do America, não fosse esta distorção intencional de avaliação por parte do árbitro e de seu auxiliar em validar o gol do Friburguense.
A validação do gol de mão do Friburguense foi o erro proposital mais grave, mas ocorreu durante esta partida a total falta de critério na condução da mesma, com inversão de faltas, paralisações desnecessárias sempre em desfavor unicamente do America, ao menos 3 (três) penalidades dentro da área - penaltys (sic) não marcados a favor do America e por fim ausência de compensação do tempo ao final da partida, devido às paralisações ocorridas.
Os acima descritos, são fatos incontestáveis! Basta conferir os mesmos, assistindo ao VT do jogo (imagens FFERJ, Gama e Célio dentre outras).
Lamentavelmente não dispomos de VAR! Por certo o VAR faria jus no resultado correto da partida.
Quando assistimos a uma partida de futebol esperamos que o árbitro e seus auxiliares de linha procurem errar o menos possível. Por conta de erros é que surgiu a figura do VAR, ao menos e em tese, para minimizar o prejuízo da equipe lesada.
Mas como sabemos, o custo desse equipamento torna-se proibitivo em jogos de Série B nacional, quiçá no Grupo X.
Todavia, o que não podemos admitir é do árbitro e seus auxiliares através de suas atitudes, interferirem no resultado final do jogo. como aconteceu na partida entre America x Friburguense.
Estatisticamente, quando um erro de arbitragem ocorre lesando os dois times, chega-se à conclusão que o árbitro e/ou seus auxiliares, carecem de profissionalismo.
Entretanto, quando os erros de arbitragem favorecem explicitamente um time, há uma intenção clara de prejudicar o outro time.
E as atitudes do árbitro e seus auxiliares em prejudicar o America ficaram claramente registradas nesta partida de futebol America x Friburguense, por todo o exposto acima e comprovadas mediante o VT do jogo. São fatos reais e não interpretações.
E para complementar os fatos acima narrados, surpreendentemente o presidente do Americano é também o Corregedor Geral da Arbitragem! Tal informação consta do site da Federação.
Fica claro o conflito de interesse, quando um Presidente de equipe da competição da qual participa, assume uma função de evidência junto à arbitragem.
Minimamente, o campeonato passa a ficar em suspeição.
Por tudo que foi dito ficam os questionamentos à seguir e o mais importante:
Quem as responderá? Quem as solucionará?
1) Como ficará a próxima partida entre Americano x America, se dentro da casa do America houve comprovadamente uma arbitragem dolosa, predisposta a arrumar um resultado desfavorável ao America ?
2) A quem interessaria brecar a vitória do America nesta fase da competição, que foi o que ocorreu neste jogo America x Friburguense?
3) Continuará à frente da Corregedoria Geral da Arbitragem o presidente do Americano? Presidente de Clube participante de competição ter uma função tão relevante junto à arbitragem, certamente macula a imagem desta competição.
4) Continuarão em suas funções na arbitragem do Grupo X do Campeonato Carioca, o árbitro e seus auxiliares, podendo novamente prejudicar propositalmente, não somente o America como foi o caso no jogo America x Friburguense, mas outro time participante da competição?
Por fim fica registrada a indignação imensa do Clube e sobretudo de seus torcedores, onde a vitória do America seria certa, caso o gol de mão não fosse validado intencionalmente pelo árbitro.
O esporte conceitualmente tem sempre um ganhador e um perdedor! Mas a disputa tem que ser leal para a conquista ter sabor! Tem que haver ética! Para o vitorioso ser reconhecido.
E minimamente, é isto que o America espera.
Uma competição justa! Uma arbitragem que não erre intencionalmente para um lado só.
Já que não temos VAR, que a arbitragem seja justa e não tendenciosa, como vergonhosamente ocorreu, presenciado e filmado no jogo America e Friburguense!
O que o America quer é simples: respeito e dignidade!
Sidney Seixas de Santana
Presidente do America Football Club"