Lisca se apresenta a jogador do Inter e revela provocação com 'partes baixas'

Pela primeira vez na história, o América avançou à semifinal da Copa do Brasil

por Agência Futebol Interior

Belo Horizonte, MG, 19 (AFI) - Lisca é um personagem a parte do futebol brasileiro. O treinador incorpora o torcedor dentro de campo, manda embora o discurso pronto e fala realmente o que pensa. Nesta quinta-feira, o comandante do América Mineiro falou, em entrevista a Rádio Grenal, sobre a confusão com os jogadores do Internacional ao final do duelo da última quarta-feira, a qual terminou com o Coelho avançando à semifinal da Copa do Brasil, nos pênaltis.

"Eu quero me apresentar ao Lindoso. Sou Lisca, com 30 anos no mercado e, se você pesquisar, vai conhecer minha história aí no Inter", falou o treinador sobre o atrito com o volante, que, mais cedo, afirmou que o treinador havia te provocador e pediu mais respeito por parte da equipe mineira.

"Sobre a torcida do Inter, foi uma questão de respeito. A gente fica sentido sempre que enfrenta o Inter e o Grêmio. O recado foi uma colocação de respeito ao torcedor colorado", completou o treinador, se referindo sobre sua declaração ao torcedor colorado ainda dentro de campo. Ele também elogiou o técnico Abel Braga.

Lisca falou sobre a confusão com jogadores do Inter. Foto: Mourão Panda / América
Lisca falou sobre a confusão com jogadores do Inter. Foto: Mourão Panda / América
"Eu sou fã do Abel. Um dos maiores momentos que tive, como profissional, foi naquela semifinal do mundial, quando Pato e Luiz Adriano marcaram contra os egípcios. Um mês antes, tavam treinando comigo no time B do Inter", falou.

Lisca ainda revelou uma provocação feita pelo lateral Rodinei, quando o Inter fez o gol que levou o duelo para os pênaltis. "O que aconteceu foi que o Inter marcou aos 50 minutos, e a comemoração foi muito justa, mas teve um jogador, o Rodinei, que exagerou. Ele passou pelo nosso banco, botou as mãos nas 'partes baixas' e nos mandou pra tudo o que é lugar", contou.

MÁGOA?
O treinador ainda deixou escapar uma mágoa da atual diretoria do Internacional. "Não, ninguém do Inter me ligou. Eu tenho uma amizade muito legal com o Marcelo Medeiros, mas assim, ficou bem claro que não gostam do meu trabalho", finalizou.