América-MG promete reclamar da arbitragem na CBF

O presidente Marcus Salum ainda não aceitou a atuação do goiano Eduardo Tomaz Aquino Valadão

por Agência Futebol Interior

Belo Horizonte, MG, 16 (AFI) - O empate com o Ceará, por 2 a 2, no Castelão, na noite da última segunda-feira, ainda é sentido por todos no América-MG. Em especial o presidente Marcus Salum, que prometeu ir até a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) reclamar da arbitragem do goiano Eduardo Tomaz Aquino Valadão.

Através de uma postagem em seu twitter na última terça-feira, Marcus Salum disse que conversou com o presidente da Federação Mineira de Futebol (FMF), Castellar Guimarães Neto, sobre a atuação do trio de arbitragem no Castelão.

O presidente Marcus Salum ainda não aceitou a atuação do trio de arbitragem no empate com o Ceará (Foto: Mourão Panda/América)
O presidente Marcus Salum ainda não aceitou a atuação do trio de arbitragem no empate com o Ceará (Foto: Mourão Panda/América)
"Conversei com o presidente da FMF sobre a arbitragem no Castelão. O América foi prejudicado em lances cruciais da partida e não podemos aceitar isso! Faremos uma representação formal à CBF contra essa arbitragem", postou o dirigente.

Os lances cruciais citados por Marcus Salum são dois. No primeiro gol do Ceará, o bandeirinha assinalou impedimento de Wescley no gol de cabeça marcado por Elton, mas o árbitro validou o lance. Já nos acréscimos, Eduardo Tomaz Aquino Valadão assinalou pênalti de Messias em cima de Elton, convertido por Pio.

Os jogadores do América-MG deixaram o campo reclamando demais da arbitragem. Na décima colocação, com sete pontos, o Coelho teria terminado a rodada na quarta colocação se tivesse vencido a partida. O próximo duelo do time mineiro será no domingo, contra o Botafogo, às 16 horas, na Arena Independência.