Alemão tem beijinho e craque colombiano questiona comemoração sem contato

Na maior parte das comemorações, porém, jogadores respeitaram os protocolos de saúde

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 16 (AFI) - O Campeonato Alemão voltou neste sábado e, apesar de todo protocolo, teve beijinho, o que é proibido na Alemanha e em todo o planeta. Dedryck Boyata, do Hoffenheim, deu um beijinho no companheiro Marko Grujic.

Boyata colocou as duas mãos no rosto do camisa 15 e tascou-lhe um beijo na bochecha. Essa, porém, foi a única pisada de bola, uma vez que os jogadores respeitaram os protocolos impostos, inclusive, nas comemorações.

Raphael Guerreiro, por exemplo, marcou dois gols na goleada do Borussia Dortmund, por 4 a 0, sobre o Schalke 04 e comemorou com um cumprimento de cotovelos. O mesmo aconteceu com Gulde, do Freiburg. Já Renato Steffen comemorou com um soquinho de mão.

Pergunta no ar. (Foto: Divulgação)
Pergunta no ar. (Foto: Divulgação)
CONCORDA?

Nem todos, porém, estão convencidos do protocolo. Falcão García, ídolo da Seleção Colombiana, e jogador do Galatasaray, lançou uma dúvida no ar durante a volta do Campeonato Alemão.

"Vendo o retorno do futebol eu me pergunto: Existirá uma razão técnica para que não se permita o abraço nos gols? Durante toda a partida, estamos em constante contato. Em um escanteio, estão os defensores em cima de você. Nas barreiras, todos juntos", pontuou.